sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Nova Oferta de Emprego


A bolsa de emprego da CCAH tem uma nova oferta de emprego para si!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do site http://www.ccah.eu/bolsa/ 
e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Vá em frente e conquiste o seu futuro profissional!


Para mais informações: http://www.ccah.eu/

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Açores com associação para promover produção de café

Um grupo de produtores de café da ilha Terceira acaba de formar uma associação regional visando transformar e comercializar o produto através da criação de uma unidade industrial, com recurso a fundos comunitários.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da Associação de Produtores Açorianos de Café, Jorge Tiago, referiu que existem cerca de 100 produtores associados ao projeto e que cerca de 20 têm áreas de cultivo de alguma dimensão no único local da Europa - o arquipélago - onde é produzido café.

Jorge Tiago referiu que os produtores de café não se sentiam muito incentivados em cultivar a planta que lhe dá origem em grandes quantidades, porque não têm como transformá-la e comercializá-la, acabando por promover culturas meramente domésticas, também com fins de jardinagem.

Referindo que foram já criados os estatutos e que a associação foi registada este mês, o porta-voz explicou que o levantamento feito aponta para cerca de uma centena de produtores na ilha Terceira, havendo um grupo que pretende aumentar a sua área de cultivo para os mil, dois mil ou mesmo quatro mil metros quadrados.

"Como bons produtores, vamos contar com 20 a 30, o que é bastante significativo", declarou o responsável pela associação, que refere que a introdução da planta do café nos Açores data "toda da mesma altura".

De acordo com Jorge Tiago, a introdução da planta do café resulta da ligação de vários açorianos às antigas colónias portuguesas. Em 1975, houve por parte das entidades oficiais uma tentativa de incremento da cultura do café nos Açores, que não resultou.

Em São Jorge existe uma maior produção de café porque esta foi sendo mantida devido à escassez de bens essenciais na ilha, contrariamente ao que aconteceu na Terceira e noutras zonas do arquipélago, como São Miguel, de acordo com o porta-voz da associação.

Jorge Tiago - que salvaguardou que "as espécies da planta são as mesmas" do que as de São Jorge - referiu que vender o grão do café verde não seria uma dificuldade, uma vez que qualquer operador de grande dimensão exterior aos Açores "não se importaria de ficar com ele, comercializando-o depois".

Contudo, pretende-se com a constituição da associação, a que todos os produtores da região podem aderir, criar no arquipélago valor acrescentado, com refação (processo de transformação) e embalagem do café para comercialização.

"A associação também aparece porque as ações de descasca, fermentação e secagem - que não pela via da refação, mas através da exposição ao sol - são procedimentos mais ingratos. Havendo a associação e uma indústria transformadora, haverá mais interessados em plantar o café, que poderão deixar a seu cuidado a transformação do produto", explicou.

Atualmente, existe nos Açores uma produção de café em São Jorge, na Fajã dos Vimes, que tem uma produção suficiente para abastecer o Café Nunes, por onde passam inúmeros turistas só para provar o expresso local, devido às suas características.

A plantação de Manuel Nunes, 63 anos, fica nas traseiras do seu café e, ao todo, tem hoje entre 350 e 400 plantas. Quando comprou o primeiro terreno, há 35 anos, havia apenas "meia dúzia", mas foi aumentando a área de plantação e todos os anos a produção aumenta.

Os proprietários do café da plantação de Manuel Nunes acabam de registar o seu produto no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, visando proteger a sua origem.


Fonte: Lusa/AO online

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Semana Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho - Prevenção dos Riscos Psicossociais


A Semana Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho de 2015, 
que decorreu entre os dias 19 e 23 do presente mês de outubro, 
foi um dos pontos altos da Campanha Europeia 
"Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis contribuem para a gestão do stresse”.

Conheça os riscos psicossociais e contribua para a sua prevenção!

Todas as informações estão no nosso site www.ccah.eu


Empresários querem privatizar gestão do porto da Praia da Vitória

Empresários e autarquia reclamam a privatização da gestão e exploração do porto comercial da Praia da Vitória.

Trata-se de por em prática um modelo semelhante ao dos portos de Sines e Leixões.

A medida, dizem, beneficiaria toda a Região.

Esta ideia voltou a ser defendida pelo presidente da câmara de comércio de Angra do Heroísmo, Sandro Paim, numa reunião do Conselho de Ilha da Terceira.


Veja toda a reportagem através do link:
http://www.rtp.pt/acores/economia/empresarios-querem-privatizar-gestao-do-porto-da-praia-da-vitoria-video_48509


Fonte: RTP Açores

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Nova Oferta de Emprego


A bolsa de emprego da CCAH tem uma oferta de emprego para si!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do site http://www.ccah.eu/bolsa/ e disponibilize o seu Curriculum Vitae.


Para mais informações: http://www.ccah.eu/

Feira Alimentária Barcelona - Pré-Inscrições


Decorre de 25 a 28 de abril de 2016, a Feira Alimentária Barcelona.

Saiba como fazer a sua pré-inscrição no nosso site www.ccah.eu!


sábado, 24 de outubro de 2015

Hong Kong é mercado "muito apetecível" para Portugal

A Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal (AICEP) vai abrir novos escritórios e reforçar equipas na Ásia, disse hoje o seu presidente, Miguel Frasquilho, que considerou ainda Hong Kong um "mercado muito apetecível".

"Hong Kong é um mercado muito apetecível e pensamos que estão reunidas as condições para que haja uma maior proximidade", disse Miguel Frasquilho aos jornalistas em Macau, no final de uma visita de três dias às duas regiões administrativas especiais da China durante a qual se reuniu com diversas entidades e participou na Feira Internacional de Macau (MIF, na sigla em inglês).

"Teremos aqui uma proximidade e um trabalho a desenvolver nos próximos anos", disse ainda o presidente da AICEP sobre Hong Kong, acrescentando que Macau terá neste âmbito "uma palavra muito importante" a dizer.

Frasquilho passou o dia de sexta-feira em Hong Kong, onde se reuniu com câmaras de comércio e a agência do Governo da região de promoção de investimento.

"Foi abordada, com algumas destas entidades, a possibilidade de termos protocolos de cooperação, memorandos de entendimento como já existem, de resto, com outras entidades, no futuro", revelou, sem dar mais detalhes.

Frasquilho limitou-se a dizer que Hong Kong é um mercado "tão variado e tão dinâmico" que as "possibilidades abrem-se a uma multiplicidade de setores", desde os serviços, "incluindo o setor financeiro", ao comércio tradional e às "tecnologias mais desenvolvidas".

Após a passagem por Macau e Hong Kong, Frasquilho viaja no domingo para a Coreia do Sul, onde vai inaugurar oficialmente a delegação da AICEP em Seul.

Segue-se, no início do próximo ano, a abertura de um escritório no Cazaquistão e "o reforço" das equipas das deleções da agência na China, Japão e Indonésia.

Por outro lado, a AICEP pretende também abrir mais uma delegação na China, em Cantão, depois de o consulado geral de Portugal estar instalado.

A China é o país com mais delegações da AICEP (Pequim, Xangai e Macau) e Frasquilho justificou a abertura de mais um escritório por Cantão ser "uma região extremamente dinâmica".

Quanto ao Cazaquistão, explicou que o novo escritório decorre do interesse e das relações que já existem entre empresas dos dois países e por em 2017 Astana ser anfitriã de uma exposição internacional, competindo à AICEP assegurar a representação portuguesa neste tipo de eventos.

"Faz todo o sentido que estejamos no terreno atempadamente", afirmou.

Em relação à 20.ª Feira Internacional de Macau, reiterou que a maior presença portuguesa de sempre (120 empresas dentro de um total de 133 entidades nacionais, quase o dobro do ano passado) gera "as melhores" expetativas em relação ao desenvolvimento das trocas comercais entre Portugal e esta região da China.



sexta-feira, 23 de outubro de 2015

“99 Things to do in Portugal”: TV canadiana no norte do país para produzir série


A viagem começa pelo norte de Portugal, mas vai passar também Lisboa, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores. A série terá 13 episódios com a duração de 45 minutos.

Uma equipa de televisão do Canadá chega ao Norte de Portugal na próxima segunda-feira para produzir uma série denominada "99 Things to do in Portugal" (99 coisas para fazer em Portugal)", informou esta quinta-feira a Associação de Turismo do Porto.

"Durante os dez dias em que estarão no Porto e Norte, a equipa terá a oportunidade de vivenciar algumas das principais experiências que fazem desta região um destino turístico único e diferenciador, percorrendo não apenas o Porto mas também o Minho e Douro", lê-se no comunicado de imprensa da Associação de Turismo do Porto (ATP), entidade responsável pela promoção e comercialização turísticas do destino Porto e Norte junto dos mercados externos.

A série de televisão, produzida pelo canal canadiano 'Evasion', que tem uma programação em torno de temáticas como turismo, viagens e aventura, vai ter 13 episódios, com a duração de 45 minutos cada.

O objetivo é "promover a riqueza e a diversidade da oferta turística da região" e o programa da visita ao Norte destaca produtos distintos como o património tradicional e contemporâneo, a oferta cultural, o turismo de natureza, a gastronomia e os vinhos, explica a ATP, na mesma nota de imprensa.

A série televisiva vai filmar no Porto e Norte de Portugal até dia 4 de novembro, mas vai também filmar noutras regiões turísticas portuguesas, designadamente Lisboa, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores.


Fonte: Expresso


quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Concentração de carga prejudica empresários da Terceira

São constantes as queixas dos empresários: a carga entra e sai tarde da Terceira. O problema pode estar na política de concentração, num único navio, seguida pelos operadores.

A política de concentração de carga num navio apenas, que depois se ocupa de fazer a ligação e distribuição interilhas, está a prejudicar os empresários da Terceira, considerou ontem Sandro Paim, presidente da Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo.

Os constrangimentos colocam-se com a alteração de "toques" nos portos dos Açores. A obrigatoriedade de ir às Flores pelo menos de quinze em quinze dias - imposta pelas Obrigações de Serviço Público - tem feito com que o operador siga diretamente para o Grupo Ocidental, deixando a Terceira para último plano. Assim, o navio que deveria fazer a ligação Ponta Delgada/Terceira, restantes ilhas do Grupo Central e Flores, opta por vir ao porto da Praia da Vitória em último lugar, alterando a programação anual apresentada aos empresários. 

Segundo os afetados, e conforme DI tem vindo a noticiar, os desvios ao planeamento colocam dificuldades quer na importação, quer na exportação, nomeadamente de produtos frescos.
"Esta reprogramação nunca tem em conta os empresários da Terceira", sublinhou Sandro Paim, que lembra que as questões já foram apresentadas à tutela, que ainda não deu respostas à Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo, ainda que o secretário regional do Turismo e dos Transportes tenha garantido que o assunto ficaria resolvido em pouco tempo.

Ainda esta semana, avançou o líder dos empresários da Terceira, da Graciosa e de São Jorge, o navio de carga que deveria chegar à ilha no início da semana só estará no porto da Praia da Vitória na sexta-feira.
"Esta programação que é fixa, que é feita pelos próprios operadores, nunca é cumprida. A tutela deveria regular e penalizar este desrespeito", disse.

Segundo a Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo, era "essencial" que um dos três operadores dos Açores viesse diretamente à Terceira na segunda ou na terça-feira, seguindo depois para as restantes ilhas dos grupos Central e Ocidental, e regressando ao porto da Praia da Vitória à quinta ou sexta-feira.
"Essa é uma reivindicação da Câmara de Comércio e de todos os nossos associados", sustentou Sandro Paim.


GRUA EM MANUTENÇÃO

Os problemas com o porto da Praia da Vitória não se ficam por aí. Os empresários terceirenses queixam-se, agora, do 'timing' escolhido para proceder à manutenção da principal grua da infraestrutura portuária.

Segundo fontes de DI, há pelo menos dois dias que um barco carregado com soja está a ser descarregado na Praia da Vitória. Em uso está uma grua antiga que não tem capacidade para descargas atempadas. Na passada quarta-feira, foi possível retirar, com esse equipamento, apenas 100 toneladas de soja, quando deveriam ter sido descarregadas 500, por exemplo.

Para os empresários terceirenses, que não foram contactados a propósito da data desta manutenção, o problema "ultrapassa a simples negligência".

Já no verão, a Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo tinha alertado para o impacto causado pelas avarias da grua do porto da Praia da Vitória. Os constrangimentos voltam a colocar-se agora, sublinha Sandro Paim.

"Infelizmente a programação não está a ser cumprida e isso traz custos de contexto acrescidos aos associados. São questões de logística que voltam a colocar-se num porto que não está a funcionar como deveria. O barco só cá vem uma vez por semana; teoricamente a manutenção deveria ser feita quando o barco não está cá!", sustentou, colocando as responsabilidades nas autoridades gestoras da infraestrutura portuária.

DI questionou a Porto dos Açores sobre os alegados constrangimentos sentidos no porto da Praia da Vitória, mas não obteve resposta até ao fecho desta edição. 


terça-feira, 20 de outubro de 2015

Suécia quer potenciar ligações comerciais com os Açores

O cônsul da Suécia nos Açores declarou hoje que o país está interessado em potenciar trocas comerciais com a região e que o fluxo turístico existente, de cerca de 10 mil visitantes anuais, é para manter.

“Os produtos açorianos são muito apreciados pelo povo sueco e pela própria embaixada que, em julho, quando inaugurou o consulado honorário [nos Açores], teve a ocasião de os experimentar. Existe esta possibilidade de intensificar as trocas comerciais”, declarou Nuno Raposo aos jornalistas.

O novo cônsul da Suécia foi hoje à residência oficial do presidente do Governo dos Açores, em Ponta Delgada, apresentar cumprimentos a Vasco Cordeiro.

O cônsul honorário manifestou a sua “inteira disponibilidade” para ajudar a intensificar as relações dos Açores com o reino da Suécia, que passam também pelo turismo. As atuais ligações aéreas semanais com a região, perspetivou, vão manter-se “nos próximos tempos”.

“O povo sueco representa desde esta altura [início da década] uma presença significativa nos Açores, em termos turísticos. Creio que a história recente do turismo nos Açores está intimamente ligada ao povo sueco e que os açorianos gostam da sua presença na região”, declarou o cônsul da Suécia no arquipélago.

Afirmando que os suecos repetem a sua presença nos Açores com frequência, até mais do que uma dezena de vezes, Nuno Raposo declarou que os números atuais não são os mesmos de há 15 anos, mas a tendência é para se manterem em cerca de 10 mil visitantes anuais.

O presidente do Governo dos Açores lembrou o passado recente das relações entre a região a Suécia, mostrando-se convicto de que o novo cônsul da Suécia na região vai ser capaz de criar condições para que se fortaleçam e possam dar ainda mais frutos no futuro.

“O mercado sueco, embora já tenha tido um peso mais significativo nos mercados turísticos que trabalham com os Açores, hoje ainda tem uma importância muito grande. Diria que mercado sueco foi um daquelas que estiveram na base do crescimento do setor turístico aqui nos Açores”, recordou Vasco Cordeiro.



Nova Oferta de Emprego


Mais uma oferta de emprego da bolsa de emprego da CCAH para si!

Para se inscrever na nossa Bolsa, basta aceder ao link 
fazer o seu registo e disponibilizar o seu Curriculum Vitae.

É muito fácil!!! Agora não perca tempo e aproveite esta oportunidade!


Para mais informações: http://www.ccah.eu/


Candidaturas ao programa de empreendedorismo social “Jovens+” abrem em novembro

As candidaturas ao programa de incentivo ao empreendedorismo social “Jovens+” abrem a 1 de novembro e terminam a 31 de dezembro de 2015.

Este programa do Governo dos Açores, através da Direção Regional da Juventude, visa promover o desenvolvimento de projetos com o objetivo de identificar, apoiar, formar, promover e relacionar iniciativas de alto potencial de empreendedorismo social, bem como o fomento da internacionalização de experiências, através do envolvimento em parcerias e do trabalho em rede.

Os projetos que se candidatarem ao programa, que se destina a jovens entre os 12 e os 30 anos, devem ter uma duração mínima de 12 meses para serem elegíveis.

O programa "Jovens+" tem como áreas prioritárias, isolada ou conjuntamente, a prevenção do abandono escolar precoce, a promoção da inclusão de jovens com menos oportunidades e do voluntariado jovem, bem como o incentivo ao empreendedorismo e à empregabilidade dos jovens e o desenvolvimento de parcerias e integração em rede em projetos internacionais.

O empreendedorismo social jovem representa o processo de procura e implementação de soluções sociais inovadoras e sustentáveis, traduzidas na criação e desenvolvimento de respostas sociais alternativas e mais eficientes destinadas aos jovens, em áreas tão diversas como ambiente e sustentabilidade, diálogo intercultural ou inclusão social, entre muitas outras.

As candidaturas ao programa podem ser efetuadas através do endereço eletrónico http://jovensmais.drj.azores.gov.pt/.


Fonte: GaCS

Nova Oferta de Emprego


A bolsa de emprego da CCAH tem uma oferta de emprego para si!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do site http://www.ccah.eu/bolsa/ e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Aproveite esta oportunidade e não a deixe escapar das suas mãos!


Para mais informações: http://www.ccah.eu/

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Potenciar a biotecnologia marinha nos Açores

A biotecnologia marinha é uma área considerada relevante para o desenvolvimento da economia azul na Região.

O director regional dos Assuntos do Mar afirmou, em Wilmington, no estado norte-americano da Carolina do Norte, que os Açores "não querem ficar de fora dos desenvolvimentos em biotecnologia azul”.

Filipe Porteiro, que falava à margem da BioMarine Business Convention, destacou a importância da participação dos Açores neste evento, que é “o único fórum internacional dedicado à promoção da biotecnologia marinha, uma área considerada relevante para o desenvolvimento da economia azul na Região”.

O BioMarine reúne pequenas e médias empresas, centros de investigação e inovação, investidores e representantes de vários países, estados e regiões do mundo com o objectivo de promover contactos para alavancar iniciativas empresariais e industriais e oportunidades de negócio em biotecnologia azul.

“A cooperação, tanto ao nível das empresas como das regiões e dos países, é vista como um aspecto fundamental para que que a biotecnologia marinha se afirme como uma nova oportunidade de crescimento económico sustentável, assente em valores ambientais”, frisou o director regional.

Filipe Porteiro salientou que “os produtos naturais extraídos de bactérias e de outros micro-organismos, de micro e macroalgas e de invertebrados marinhos, mas também de subprodutos industriais, têm múltiplas aplicações”, nomeadamente nas indústrias farmacêutica, de cosméticos e alimentar, na produção de biocombustíveis e de bioplásticos e em aquacultura.

“Este é um mundo novo e emergente que está agora a despontar em todos os continentes e regiões e os Açores não querem ficar de fora deste movimento sem retorno”, afirmou, acrescentando que, apesar da biotecnologia marinha ainda estar numa fase embrionária na Região, “o potencial dos Açores em diversas áreas já é reconhecido”.

O director regional sublinhou que o BioMarine é um fórum em que o "contacto directo e intenso” entre os participantes é valorizado e que, nesse sentido, o objectivo da presença no evento foi a divulgação das "potencialidades dos Açores, as vantagens competitivas e as oportunidades existentes” perante empreendedores com eventual interesse em investir em biotecnologia e aquacultura na Região.

Os benefícios fiscais concedidos pelo Governo dos Açores àquele sector, os apoios existentes para a fixação de pequenas e médias empresas, o apoio comunitário à instalação de fábricas e laboratórios empresariais, as vantagens das incubadoras tecnológicas e a facilidade em aceder a laboratórios especializados e a espaços para instalação das empresas, bem como o mapeamento de zonas com potencial para aquacultura no Arquipélago foram algumas das mais-valias da Região apresentadas no BioMarine.

Filipe Porteiro referiu ainda que “o conhecimento existente sobre os recursos marinhos regionais, em especial com relevância em biotecnologia marinha, e as capacidades instaladas da Universidade dos Açores são também activos estruturantes que a Região possui para alicerçar projectos e iniciativas empresariais nesta área”.

“A implementação de capacidades em biotecnologia marinha nos Açores é um processo que exige uma promoção contínua e persistente junto de empreendedores das regiões e dos países mais avançados nesta área de negócios, como a Carolina do Norte, o Québec, a Escócia e a Noruega”, salientou o director regional.


Fonte: Jornal Diário

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Terceira vai começar a incinerar resíduos

A central de valorização energética da Terceira já entrou em fase de testes.

Dentro de poucas semanas, será possível avançar com a incineração de resíduos na ilha, avança a Teramb, entidade inter-municipal que gere o projeto.

A obra será concluída até ao final do ano.



Veja o vídeo da reportagem do Telejornal da RTP Açores através do link:

http://www.rtp.pt/acores/local/terceira-vai-comecar-a-incinerar-residuos-video_48390


Movimento de mercadorias nos portos aumenta

O movimento de mercadorias no segundo trimestre deste ano nos portos de Ponta Delgada e de Praia da Vitória aumentou, enquanto o número de embarcações entradas cresceu apenas num porto, revelam dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).  

Na Região, segundo o INE, os portos de Ponta Delgada e de Praia da Vitória movimentaram 318 mil e 121 mil  de toneladas, respetivamente, correspondentes a um aumento  de  1,8% e 0,5% na atividade. 

Estes valores estão em linha com o movimento de mercadorias nos portos portugueses que cresceram 12,3% no terceiro trimestre de 2014 em termos homólogos, fixando-se em 22,8 milhões de toneladas. 

Já o número de embarcações entradas aumentou no Porto de Ponta Delgada mas caiu na Praia da Vitória. 

Assim, o número de embarcações entradas em Ponta Delgada aumentou 3,1%, correspondendo a 200 navios.  

Na Praia da Vitória houve uma queda de  1,4%, o que corresponde a 138 navios.


quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Nova Oferta de Emprego


Mais uma oferta de emprego da bolsa de emprego da CCAH para si!

Ainda não se inscreveu na nossa Bolsa?
É fácil!!! Aceda ao link http://www.ccah.eu/bolsa/ 
faça o seu registo e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Não deixe passar o seu futuro ao lado!


Para mais informações: http://www.ccah.eu/


TAP prepara pacote para turistas com destino à Terceira

A transportadora aérea nacional está a preparar o lançamento de uma operação com passagens baratas destinada a trazer turistas à ilha Terceira, disse a delegada da TAP nos Açores à RTP/A.

Alda Sousa explicou que a promoção vai ser lançada em breve e que terá mais lugares disponíveis do que os atualmente à venda.

Recorde-se que a Tap tem em curso - termina no dia 26 de outubro - uma campanha com passagens a 74 euros (ida e volta) entre Lisboa e a Terceira.

Esta operação é aberta a residentes, o que não acontecerá com a nova que está a ser preparada.


Veja o vídeo da reportagem na RTP/Açores


Apoio Suplementar por vaca leiteira, nas explorações situadas nas Ilhas de São Miguel e Terceira - 2015


Foi publicada, hoje, no Jornal Oficial, 
a atribuição de um apoio suplementar por vaca leiteira, 
nas explorações situadas nas ilhas de São Miguel e Terceira, 
para o ano de 2015.

Trata-se de uma medida excecional e transitória de compensação 
para os produtores de leite destas Ilhas.

Saiba tudo no nosso site www.ccah.eu


Nova Oferta de Emprego


A bolsa de emprego da CCAH tem uma oferta de emprego para si!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do site http://www.ccah.eu/bolsa/ e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Aproveite esta oportunidade e não a deixe escapar das suas mãos!


Para mais informações: http://www.ccah.eu/


869 projetos de investimento candidatos a fundos da UE

Com um pacote financeiro de cerca de 1140 milhões de euros de fundos comunitários para comparticipar investimentos até 2020, o novo programa operacional para os Açores (PO Açores 2020) tinha, até  fim de julho, 641 candidaturas, correspondentes a  projetos de investimento no valor de 321 milhões de euros.

Nesse mesmo período, 40 por cento da dotação, ou seja 457,1 milhões de euros, já tinha sido colocada a concurso, estando em aberto ainda 22 dos 26 concursos para atribuição de fundos comunitários, no âmbito do PO 2020. 

De acordo com informação disponibilizada no âmbito da anteproposta do Plano Regional para 2016, a 31 de julho, quatro concursos já tinham encerrado os períodos de candidatura para atribuição de fundos da ordem dos 113,5 milhões de euros.

As candidaturas ao Programa Operacional para os Açores 2020 diziam respeito a investimentos com um valor médio de 501 mil euros.

No que se refere ao Programa de Desenvolvimento Rural (PDR Açores - ProRural+), até fim de julho, já tinham sido apresentadas 228 candidaturas para um investimento previsto de cerca de 48,4 milhões de euros.  

Com uma dotação de cerca de 295,2 milhões de euros, foi colocado a concurso apenas 14 por cento do montante total do programa ProRural+, ou seja cerca de 40,5 milhões de euros.

As candidaturas apresentadas aos 14 concursos já lançados previam um investimento médio de 213 mil euros.

Segundo o documento, no mesmo período, já estavam encerrados cinco concursos para atribuição de 9,9 milhões de euros, estando em aberto outros nove concursos para distribuição de 30,6 milhões de euros.

Deste modo, de acordo com a anteproposta do Plano Anual Regional para 2016, entre o novo Programa Operacional para os Açores e o PDR Açores (ProRural+), foram apresentadas, no total, 869 candidaturas de projetos de investimento na Região.

Note-se que, do total do montante disponibilizado pelo PO Açores 2020, 825 milhões de euros estão reservados a intervenções que se enquadram nos objetivos do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e 315 milhões de euros a intervenções no âmbito do Fundo Social Europeu - que foi reforçado com 125 milhões de euros no atual período de programação, em comparação com o anterior. 

No âmbito deste novo programa, são as políticas ativas de emprego, de formação e de qualificação que têm prioridade, a par do crescimento inteligente e da sustentabilidade.

O programa de Desenvolvimento Rural para o período de programação 2014-2020, por sua vez, privilegia a modernização das estruturas de produção e transformação agropecuária; a reestruturação e ordenamento fundiário; a transferência de conhecimentos e inovação; e o fortalecimento da produção agrícola com potencial de crescimento nos mercados locais, nas áreas diversificação (hortícolas, nomeadamente beterraba sacarina, vinhos, frutícolas, …).

Dá ainda prioridade à criação de sistemas de rotulagem para identificar a origem dos produtos colocados no mercado; à conservação e valorização dos sistemas de produção com alto valor natural; adaptação às alterações climáticas; gestão e preservação de riscos; proteção do ambiente; e promoção da utilização eficiente dos recursos existentes.

Recorde-se que, após a aprovação do Acordo de Parceria Para Portugal (julho de 2014), dos Programas Operacionais dos Fundos da Coesão (dezembro de 2014) e dos Programas de Desenvolvimento Rural (PDR do continente – dezembro de 2014 – e PDR das regiões autónomas – fevereiro de 2015), teve lugar a aprovação de parte significativa da regulamentação nacional e regional, assistindo-se ao lançamento de diversos concursos nos vários domínios temáticos. No final de agosto, o Programa Operacional MAR 2020 estava ainda em fase de negociação entre Portugal e a Comissão.


Fonte: Açoriano Oriental

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Adega e Cooperativa da Graciosa prepara-se para novo rumo

A Adega e Cooperativa Agrícola da Ilha Graciosa atravessa uma fase de mudança radical.

No mês passado a Adega procedeu à vindima 2015, tendo recolhido dos associados um montante que ultrapassou as 6 toneladas de uvas, todas de grande qualidade, que darão para cerca de 7 a 8 mil garrafas.

Terminada a vindima e a fermentação do vinho segue-se a retirada de equipamentos, para que arranquem as obras de remodelação, conforme nos disse João Picanço, presidente da Adega.

Durante um mês estará na ilha Graciosa uma equipa especializada, para remover o amianto do edifício, permitindo depois que as obras prossigam.

No final de Setembro, realizou-se uma Assembleia-geral, onde foram aprovadas as contas da adega e também a contracção de um empréstimo de 350 mil euros, para financiar a parte do projecto da responsabilidade da cooperativa.

As obras durarão cerca de 7 a 8 meses, esperando-se por isso que estejam prontas antes da nova época frutícola.

Estas obras, no valor de 1 milhão e 140 mil euros, dotarão o edifício da Adega de uma área de 1.529 metros quadrados. 

O projecto, cuja empreitada foi concessionada à Empresa Vila Jardim, tornará a Adega numa Unidade Agro-Alimentar, que se divide em quatro zonas distintas, nomeadamente a Unidade de processamento de alhos, com capacidade de produção para novos produtos, nomeadamente massa de alho e alho em pó.

Unidade de Mel e compotas, que se assemelha a uma cozinha industrial, com zonas desde a confecção, ao engarrafamento e rotulagem.

Com este projecto a Adega ficará dotada também de uma unidade de processamento hortofrutícola, também com zonas distintas para preparação dos produtos, pesagem, embalamento, etc.

A quarta área é a unidade de vinificação, moderna e com todas as condições para a produção dos vinhos Pedras Brancas.

Até à conclusão das obras a Adega não vai parar de funcionar e será mesmo criado um espaço provisório para a venda dos produtos.

Quando esta fase estiver terminada, cabe aos associados e produtores tirarem proveito do espaço, podendo até tratar outros produtos, não só a meloa, vinho e alhos, pois segundo João Picanço assim é que se justifica este projecto.

A Adega vai reforçar-se, já a partir de Janeiro, com uma técnica especializada, para dar ajuda no terreno.



Seminário "Humanizar a Sociedade"


Nos dias 15 e 16 de outubro, a Cáritas Diocesana vai realizar, 
no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo,  
o Seminário "Humanizar a Sociedade", 
que contará com a presença de reputados conferencistas nacionais, 
a par de especialistas regionais, 
que abordarão a temática do papel das IPSS 
no processo de humanização da Sociedade.

Consulte todo o Programa deste Seminário 
no nosso site www.ccah.eu



Bruxelas lança selo para facilitar financiamento a projetos regionais

A Comissão Europeia lançou ontem um selo de excelência que permite às regiões reconhecerem propostas de qualidade apresentadas no âmbito do Horizonte 2020 e promover o acesso a fundos de financiamento e programas de investimento nacionais ou regionais.

A iniciativa foi ontem lançada, no Open Days “Semana das Regiões e Cidades Europeias”, no Comité das Regiões, pela comissária europeia para a Política Regional, Corina Creu, e pelo comissário para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas. 

“As regiões da União Europeia são já um grande investidor na qualidade da investigação e da inovação na Europa. Através do selo de excelência podem beneficiar do sistema de avaliação do Horizonte 2020, reconhecido a nível mundial, para identificar facilmente os melhores projetos a apoiar com os seus fundos nas respetivas regiões”, salientou Moedas. 

O selo de excelência será atribuído a projetos promissores apresentados no âmbito do Programa-Quadro Horizonte 2020, que não podia garantir o financiamento devido a limitações orçamentais, mas que tenham recebido uma pontuação elevada no exigente e independente processo de avaliação. 

Na fase piloto, o selo de excelência deve, em primeiro lugar, ser atribuído a propostas de pequenas e médias empresas (PME), apresentadas ao abrigo do instrumento de apoio às PME no âmbito do Horizonte 2020. O programa Horizonte 2020 disponibiliza cerca de 80 mil milhões de euros em investimentos destinados a projetos de investigação e inovação. 



Semana Europeia da Prevenção de Resíduos 2015 - Convite à adesão


No âmbito da Semana Europeia da Prevenção de Resíduos 2015
a Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente apela às entidades 
para que, no âmbito das suas competências, 
promovam ações e atividades de sensibilização e informação 
dedicadas à prevenção e gestão dos resíduos 
entre os dias 21 e 29 de novembro, 
tendo como temática de 2015 a "Desmaterialização
(fazer mais com menos materiais).

Saiba como inscrever-se como Proponente de Ação 
da Semana dos Resíduos, 
até ao próximo dia 6 de novembro de 2015 
no nosso site www.ccah.eu



segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Investimento das empresas na Zona Euro ao nível mais elevado desde 2008

É preciso recuar a 2008 para ver a taxa de investimento das empresas na zona euro a níveis mais elevados. No segundo trimestre a taxa foi de 22,3% ajustado à sazonalidade. A margem de lucro das empresas estabilizou.

As empresas na Zona Euro estão a investir mais. De acordo com os dados divulgados esta segunda-feira, 12 de Outubro, pelo Eurostat, a taxa de investimento na zona euro atingiu, no segundo trimestre, 22,3% ajustada da sazonalidade. O que significa que é o valor mais elevado desde que no quarto trimestre de 2008 se atingiu uma taxa de investimento de 23%.

A partir dessa altura, a taxa de investimento caiu e chego, no valor mínimo, no primeiro trimestre de 2010, aos 20,8%. Nos três últimos trimestres, a taxa de investimento tem vindo a subir. 

O pico do investimento, de acordo com os dados do Eurostat, foi no primeiro trimestre de 2008, quando atingiu os 24,1%.

De acordo com o Eurostat, a formação bruta de capital fixo, ou seja, investimentos em activos fixos que pode demonstrar aumento de capacidade produtiva, atingiu um crescimento de 2% face ao trimestre anterior, quando tinha crescido 1,8%.

Já o crescimento do valor acrescentado bruto (resultado da produção depois de deduzido os custos com matérias-primas e outros consumos) foi de 0,8% nas empresas não financeiras da zona euro face ao trimestre anterior, em que tinha crescido 1,2%. 

A margem de lucro das empresas não financeiras da zona euro fixou-se no segundo trimestre deste ano nos 40%, mantendo o mesmo nível do trimestre anterior.

Desde 2011 que a taxa não se situava na casa dos 40%.



Fonte:  Jornal de Negócios


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Selo Marca Açores poderá ser aplicado na banana regional

A produção da banana nos Açores atinge cinco mil toneladas por ano distribuídas por 290 hectares.

A banana pode entrar para o leque de produtos com Marca Açores.

A possibilidade é avançada pelo Diretor Regional da Agricultura numa altura em que a Universidade dos Açores acaba de publicar uma investigação sobre a cultura da banana.



Fonte: RTP Açores

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Mapa: Quanto vão crescer as principais economias mundiais

O FMI actualizou esta terça-feira as suas previsões para a economia mundial, que vai crescer menos do que o previsto anteriormente. 
Veja o mapa com os números das principais economias.



Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou a rever em baixa a sua previsão para o crescimento da economia global, antecipando agora que o mundo cresça 3,1% neste ano, próximo do patamar que muitos economistas consideram ser o limiar de um quadro recessivo e abaixo dos 3,4% registados em 2014. Este será, assim, o quinto ano consecutivo de desaceleração mundial.  

Para 2016, a instituição liderada por Christine Lagarde espera ainda que a economia mundial ponha o pé no acelerador e se expanda 3,6%, mas - adverte o Fundo - a balança dos riscos passou a estar mais inclinada para o lado negativo. Em Abril, a organização sedeada em Washington antecipava que o produto interno bruto (PIB) mundial crescesse 3,5%, tendo em Julho revisto esse número em baixa para 3,3%.

As novas previsões trimestrais, divulgadas nesta terça-feira, reflectem um arrefecimento nos países emergentes que, durante os anos mais agudos da Grande Crise, resistiram melhor do que o mundo desenvolvido. A China crescerá 6,8% e 6,3% neste ano e no próximo, abaixo dos 7,3% registados em 2014, ao passo que Brasil e Rússia estão mergulhados em cavadas recessões.

Recessão no Brasil duplicou em três meses
As perspectivas em torno do desempenho da economia brasileira voltam, aliás, a ser alvo revisões dramáticas: face a Julho último, o FMI cortou mais 1,5 pontos e espera agora que a maior economia da América latina encolha o dobro, ou seja,  3% neste ano e mais 1% em 2016. A Rússia sofrerá uma contracção de 3,8% neste ano e de 0,6% em 2016.   Angola, que tem sido uma bóia para muitas empresas portuguesas, crescerá, mas menos: 3,5% neste ano e no próximo, o ritmo mais baixo desde 2010.

"O quinto ano consecutivo de desaceleração do crescimento reflecte uma combinação de factores: o crescimento mais fraco em países exportadores de petróleo, a desaceleração na China, e uma perspectiva mais fraca para os exportadores de outras matérias-primas, inclusive na América Latina. Além disso, as tensões geopolíticas e as lutas internas em vários países continuam a ser elevadas, com custos económicos e sociais imensos", resume Maurice Obstfeld, economista-chefe do FMI.

Face ao desempenho do ano passado, espera-se uma "modesta recuperação nas economias avançadas", em particular nos Estados Unidos, que acelerarão de 2,4% em 2014 para 2,6%, antes de chegar a 2,8% em 2016. Mas o Japão e a Zona Euro permanecem anémicos. A economia nipónica crescerá neste ano e no próximo abaixo de 1%, enquanto a união monetária europeia deverá crescer 1,5% neste ano e 1,6% no próximo - pouco, ainda que acima dos 0,9% registados em 2014. Neste contexto, o FMI volta a recomendar em particular ao Banco Central Europeu que mantenha uma política acomodatícia, pedindo aos governos europeus mais reformas estruturais para "fortalecer a participação no mercado de trabalho" e "reduzir os entraves à entrada nos mercados de produtos e serviços". No caso dos países com contas em ordem - cita-se a Alemanha e a Holanda - o FMI volta a sugerir uma política mais expansionista, através de mais "investimento público, especialmente em infra-estruturas de qualidade". Para os demais países do euro, entre os quais se inclui Portuga - para o qual  continua a antecipar um crescimento económico de 1,6% para este ano, seguido de uma desaceleração no próximo para os 1,5%-  o FMI recomenda o cumprimento da disciplina prescrita no Pacto de Estabilidade.



Fonte: Jornal de Negócios


Reunião com Câmara Municipal de Angra do Heroísmo - Alterações do Trânsito e outros assuntos


Pretende participar na reunião com a Câmara Municipal 
para discussão das alterações do trânsito e outros assuntos?

É já no próximo dia 14 de outubro 
no Salão Nobre da nossa Câmara do Comércio!

Não deixe de marcar a sua presença até ao dia 09 de outubro, 
para o email geral@ccah.eu ou pelo telefone 295 204 810.



terça-feira, 6 de outubro de 2015

Há oito anos que não “nascem” tantas empresas

Nos nove primeiros meses do ano foram constituídas 29.190 empresas.

O Barómetro da Informa D&B revela que, entre Janeiro e Setembro deste ano, foram constituídas mais 8,2% de novas empresas.

Tendo em conta o ritmo de abertura de novas empresas, verificado nos três primeiros trimestres do ano, a Informa D&B conclui que "2015 poderá encerrar com o valor mais elevado de nascimentos de empresas desde 2007".

Nos nove primeiros meses do ano, foram constituídas 29.190 empresas. "O número de novas empresas aumentou em todas as regiões, na quase totalidade dos sectores. Nos últimos 12 meses, nasceram 2,4 empresas por cada empresa que encerrou", revela a referida análise.



TUI lança viagens diretas para a ilha do Pico

O operador turístico TUI vai passar a realizar dois voos semanais entre a Holanda e três ilhas dos Açores no verão de 2016, estreando a rota para o Pico, um anúncio que agradou ao poder local e regional.

"Vamos operar com o Boeing 737-800, com 183 lugares, duas vezes por semana, oferecendo um total de 9.881 lugares entre Amesterdão e os Açores", afirmou o diretor da TUI, Luc Lentjes, em conferência de imprensa em Ponta Delgada, acrescentando que os voos vão decorrer às segundas e sextas-feiras.

Há dez anos no mercado dos Açores, a TUI já voa entre a Holanda e as ilhas de São Miguel e Terceira, estreando entre abril e outubro de 2016 a rota para o Pico, o que significa mais 15% da capacidade de oferta do operador para o arquipélago.

Segundo Luc Lentjes, a escolha da nova rota prendeu-se com pedidos dos clientes da TUI em explorar também as mais pequenas ilhas dos Açores e com o facto de a partir do Pico se poder chegar a outras ilhas de barco, como o Faial e São Jorge.

Para o secretário regional do Turismo e Transportes, Vítor Fraga, esta nova operação "é mais um passo para a consolidação do destino Açores", com a vantagem de "abrir uma nova porta de entrada no arquipélago, cujos benefícios se vão estender a outras ilhas do grupo central".

"A Holanda é um mercado consolidado, onde a região tem vindo a investir, e continuar a aposta é maximizar o retorno que se obtém", referiu o governante, sublinhando que em causa estão cerca de 60 mil dormidas com a nova rota, sendo "a primeira vez que um operador privado entra diretamente pelo Pico".

Também o presidente da Câmara Municipal de São Roque do Pico, que assistiu à apresentação, considerou o início das viagens entre Amesterdão e o Pico "uma grande notícia" para a ilha e para o Triângulo (designação dada ao conjunto das ilhas do Pico, Faial e São Jorge).

Mark Silveira recordou que o concelho tem o maior índice de alojamento turístico rural na ilha e sublinhou que, seguramente, parte dos turistas holandeses vão pernoitar nesses empreendimentos, pelo que o impacto financeiro será importante para a economia local. 



sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Evento para os Snack-Bares - "Semanas de Snacks"


A CCAH vai promover, entre 30 de Outubro e 22 de Novembro, 
a 3ª Edição das "Semanas de Snacks". 

O evento vai decorrer nos Snack-Bares da Ilha Terceira, 
nos seus horários de funcionamento, 
com o objetivo de dinamizar e promover o setor, 
desenvolver novos conceitos nos Snack-bares locais, 
fidelizar e captar novos clientes.

Se tem um Snack-Bar a pretende participar, 
as inscrições são até ao dia 7 de outubro!

Saiba como inscrever-se no nosso site www.ccah.eu

Empresários da Graciosa Reivindicam as mesmas possibilidades de transportes das outras ilhas do arquipélago

As ilhas Graciosa e Terceira que também pertencem ao grupo central, continuam a ficar de fora das escalas, dos novos barcos, Gilberto Mariano e Mestre Simão, pertencentes à Transmaçor, uma empresa que tem a maioria do seu capital na posse da Atlanticoline que também é uma empresa de capitais públicos.

Carlos Brum, presidente do Núcleo Empresarial da Graciosa, disse tratar-se de um assunto antigo, com os comerciantes a não entenderem o porquê daquela movimentação de barcos no triângulo não ser alargado às ilhas Graciosa e Terceira.

O representante dos empresários graciosenses afirma que não faz sentido não ser criado um outro triângulo, entre Graciosa, Terceira e São Jorge, dando oportunidade à Graciosa de ter transportes de passageiros todo o ano o que deveria até estar incluído nas obrigações de serviço público.

Empresários da Graciosa continuam a reivindicar para a ilha as mesmas possibilidades de transportes das outras ilhas do arquipélago.



quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Fórum de Biodiversidade e Turismo Náutico promovido pelo Projeto PT-Mac, Ilha Terceira, 5 e 6 de outubro de 2015


Irá realizar-se nos próximos dias 5 e 6 de outubro de 2015, no Auditório Campus de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores e na Sala Movimento da Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira na Praia da Vitória, respetivamente, um Fórum de Biodiversidade e Turismo Náutico promovido pelo Projeto “Plataforma Tecnológica da Macaronésia (PT-MAC)”. 

Saiba mais sobre este Fórum e como participar no nosso site www.ccah.eu


Novas obrigações de serviço público no transporte aéreo dentro dos Açores entram hoje em vigor

As novas obrigações de serviço público para o transporte aéreo entre as nove ilhas dos Açores entram esta quinta-feira em vigor, passando a haver um preço máximo por bilhete de 120 euros e um reforço da oferta de voos.

As novas obrigações de serviço público para os voos inter-ilhas foram publicadas no dia 25 de março no Jornal Oficial da União Europeia, o que permitiu lançar, em seguida, o concurso público internacional e assim cumprir todos os prazos para a entrada em vigor do novo modelo.

A Sata Air Açores foi a única empresa que apresentou uma proposta ao concurso, no valor de 135 milhões de euros, e o contrato terá a duração de cinco anos.

Segundo o secretário regional do Turismo e Transportes, hoje concretiza-se “mais uma peça da grande reforma” levada a cabo dentro e fora do arquipélago ao nível das acessibilidades e mobilidades dos açorianos e dos turistas.

Vitor Fraga destacou o facto de as novas obrigações de serviço público introduzirem o conceito de custo máximo por bilhete, no valor de 120 euros, o que “materializa a maior redução de sempre nas tarifas no transporte aéreo entre as ilhas”.

“Todos os preços são feitos numa lógica de origem/destino, independentemente de o utilizador ir por uma rota direta ou combinada, e têm um custo máximo definido de 120 euros, que engloba a tarifa e todas as taxas”, disse o governante, acrescentando que há outro bloco de tarifas a 100, 90 e 60 euros consoante as ligações aéreas efetuadas.

Vitor Fraga referiu que o novo modelo define também que, consoante a procura, a concessionária é obrigada a incrementar a própria oferta de voos, “desde logo com o estabelecimento de uma rota que não esteja previamente definida caso exista procura, na perspetiva de escoar todo o tráfego”.

O governante adiantou ainda que se houver listas de espera superiores a 48 horas para um determinado destino a concessionária é obrigada a reforçar a sua oferta, assim como quando existir irregularidades por via das condições atmosféricas é obrigada a repor as ligações 24 horas após as mesmas melhorarem.

“Começaremos aqui um processo de implementação de novas obrigações de serviço público que irão contribuir de uma forma determinada para atenuar todos os efeitos provenientes do estrangulamento [que tem ocorrido nos voos inter-ilhas]”, disse Vitor Fraga, lembrando que o transporte aéreo é “dinâmico”.


Fonte: Açoriano Oriental

Oferta de Emprego


A bolsa de emprego da CCAH tem uma oferta de emprego para si!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do site http://www.ccah.eu/bolsa/ e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Aproveite esta oportunidade e não a deixe escapar das suas mãos!


Para mais informações: http://www.ccah.eu/