quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Várias empresas açorianas vítimas de ataques informáticos

Os piratas entram nos sistemas, roubam os dados e pedem somas avultadas para a sua devolução. Diversos empresários têm pago os montantes exigidos.

Uma onda de ataques informáticos efetuada por "hackers", nome normalmente atribuído a "piratas" que penetram em sistemas informáticos, tem aterrorizado várias empresas açorianas.

Nos casos conhecidos os valores pedidos variam entre os dois mil e os 30 mil euros.

De acordo com as denúncias que chegaram à Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, os ataques duram há quase 3 meses e já foram afetadas pelo menos dez empresas.

As entidades alvo destas ofensivas variam entre os pequenos fornecedores de serviços e as grandes organizações da região.

Veja a toda a reportagem em:


Texto Multimédia: Ricardo Cruz

Fonte: Telejornal


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Nova Oferta de Emprego


Nova oportunidade de emprego 
na Ilha Terceira, através da bolsa de emprego da CCAH!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do link: http://www.ccah.eu/bolsa/ 
e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Não perca tempo e agarre hoje mesmo o seu futuro!!!

Para mais informações: http://www.ccah.eu/  



quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Formação para Profissionais - Trabalhador Designado para a Segurança e Higiene no Trabalho


Veja todas as informações em:





Empresários do setor da madeira vão poder usar selo "Marca Açores"

A diretora regional dos Recursos Florestais açoriana disse hoje que os empresários do setor da madeira vão poder aderir à marca "Açores" a partir do primeiro trimestre de 2017, através do acesso a um selo identificativo

"Estamos, neste momento, a trabalhar nos critérios e processo de adesão, e creio que, no primeiro trimestre de 2017, vamos ter tudo pronto para que os empresários possam ter acesso ao selo identificativo”, declarou Anabela Isidoro, em declarações à agência Lusa.

A responsável considerou que “haveria todo o interesse em que não se criasse mais uma marca” com a "Floresta dos Açores" e se aderisse, por outro lado, ao selo marca "Açores", que significa "certificado pela natureza".

“Faz todo o sentido que se inclua esta marca 'Floresta dos Açores' na marca 'Açores', que já é também imagem de marca da região”, frisou.

A diretora regional referiu que, uma vez que já existe um grafismo específico do logótipo para as florestas, com o desenho de uma criptoméria (a espécie mais comum da fileira florestal no arquipélago), está a ser trabalhado com a Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores um “procedimento para que os empresários do setor florestal possam ter acesso a este selo identificativo, aderindo os produtos da floresta à marca 'Açores'”.

O Governo Regional anunciou a criação da marca integrada no âmbito da Estratégia Florestal dos Açores, que, segundo Anabela Isidoro, se mantém, estando-se, assim, a "cumprir um dos seus objetivos”.

A intenção era que a marca "Floresta dos Açores" incluísse todos os produtos oriundos da fileira florestal regional, além da criptoméria, tais como a folhagem e produção de mel, e outras madeiras.

Destacando que a maior parte dos agricultores dos Açores possui um espaço de floresta, Anabela Isidoro adiantou que a região já tem a área florestal sob gestão do executivo certificada pela entidade internacional Forest Stewardship Council, ocorrendo já a exportação de madeira certificada pela mesma.

A diretora regional dos Recursos Florestais acrescentou que o Canadá tem sido o principal país para o qual os empresários açorianos têm exportado madeira.

O selo marca "Açores" está disponível para os produtos alimentares, não alimentares, artesanato, serviços e estabelecimentos e podem apresentar candidaturas os empresários em nome individual, estabelecimentos individuais de responsabilidade limitada, sociedades comerciais, cooperativas e associações sem fins lucrativos.


Fonte: Lusa / Açoriano Oriental