sexta-feira, 5 de agosto de 2016

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Venda Açoriana - Festas da Praia da Vitória


O melhor das 9 ilhas da sua região num só espaço, 
durante as Festas da Praia da Vitória. 

Mais de quatro centenas de produtos à escolha!!!...

Faça-nos uma visita!



sexta-feira, 29 de julho de 2016

Santa Catarina obtém Certificação relacionada com Gestão de Segurança de Alimentos através da SGS

A SGS – líder mundial em inspeção, verificação, testes, formação e certificação – acaba de atribuir a certificação FSSC 22000 (Sistema de Gestão de Segurança de Alimentos) à Santa Catarina – Indústria Conserveira, S.A., empresa que, deste modo, evidencia o seu compromisso em assegurar a qualidade, legalidade e segurança alimentar das conservas de atum que fabrica e comercializa.

Ao certificar-se pela norma FSSC 2200, através da SGS, uma entidade independente e devidamente acreditada, a Santa Catarina capacita-se, ao nível da qualidade e segurança alimentar, a estar presente no mercado alimentar à escala mundial, satisfazendo os mais altos padrões de exigência dos clientes para os quais a qualidade é um requisito inquestionável.

Maria João Brissos, Diretora Comercial e de Marketing, e coordenadora interna da implementação do referencial FSSC 22000 em Santa Catarina, explica a importância da obtenção desta certificação: «É um selo de qualidade e credibilidade internacional que é fundamental para qualquer empresa do segmento em que operamos. É o melhor cartão-de-visita para chegarmos até novos clientes e um conforto indiscutível para os que já nos confiam a sua preferência. Este desenlace tão rápido só foi possível por termos recorrido a um parceiro experiente e reconhecido nesta área, como é o caso da SGS, que acabou por nos facilitar bastante o processo».

A SGS é líder mundial em inspeção, verificação, análises e certificação. Presente em 140 países, a SGS opera em mais de 1.800 escritórios e laboratórios, contando com mais de 85.000 colaboradores em todo o mundo.

Fundada em França, em 1878, pelo lituano Henri Goldstück, a SGS está sedeada na Suíça. Em Portugal desde 1922, hoje tem total cobertura nacional através de 8 escritórios, que incluem Açores e Madeira.


Fonte: GI AE Media Consulting/RL Açores


Praia da Vitória recupera zonas húmidas para potenciar observação de aves

A Câmara Municipal da Praia da Vitória, nos Açores, vai recuperar até 2018 três zonas húmidas para promover a observação de aves no concelho, tendo criado também uma infraestrutura de apoio a esta prática.

“Tivemos a bênção da natureza de termos três destes espaços numa área inferior a três quilómetros de distância, mas em 2005 tínhamos todas elas por recuperar, valorizar e potenciar”, frisou, hoje, em declarações aos jornalistas, o presidente da autarquia da Praia da Vitória.

Roberto Monteiro falava à margem da inauguração do Centro de Interpretação da Infraestrutura Verde Húmida Costeira da Praia da Vitória, construído ao abrigo de uma candidatura a fundos comunitários, no âmbito do projeto Life+.

No total, a candidatura, apresentada há dois anos, prevê um investimento de dois milhões de euros (cofinanciados a fundo perdido em 50%) na construção do centro e na recuperação e ampliação de três zonas húmidas, o que deverá estar concluído até 2018.

A autarquia já tinha investido três milhões de euros na recuperação do Paul da Praia da Vitória, que é zona húmida classificada e parque natural da cidade, estando prevista agora a sua ampliação, bem como a recuperação do Paul do Belo Jardim e do Paul da Pedreira.

Segundo Roberto Monteiro, a autarquia pretende apostar na divulgação turística destes espaços, já no próximo ano, estando prevista a organização de dois eventos internacionais de observação de aves, por ano, na Praia da Vitória, e a participação em eventos de promoção no estrangeiro.

De acordo com o autarca, mesmo sem estarem totalmente recuperados, os pauis da Praia da Vitória já têm uma “procura enorme” de observadores de aves, o que se justifica pela raridade das espécies encontradas.

“Algumas das aves que aqui param, só param em três, quatro sítios no mundo. É esta perspetiva que o torna diferenciador”, frisou.

O turismo associado à observação de aves é um nicho que interessa à autarquia da Praia da Vitória, não só por ser “amigo do ambiente”, como pelo seu impacto económico.

“Um dos elementos fundamentais e que surge das estatísticas é que este nicho é potencialmente um nicho com alto poder de compra e que deixa um rendimento per capita muito superior ao turismo normal”, salientou Roberto Monteiro.

Para além de dar apoio logístico aos observadores de aves e de ter uma área destinada a fotógrafos, o centro interpretativo hoje inaugurado vai acolher várias atividades infantis para sensibilizar os mais novos para o potencial desta atividade.

“É fundamental criar-se uma cultura e as pessoas perceberem o que é a observação de aves, qual é o seu valor, quais são os seus méritos e porque é que existem milhões de pessoas no mundo inteiro que são apoiantes”, salientou o autarca.

Também o secretário regional da Agricultura e Ambiente, Luís Neto Viveiros, considerou que o centro interpretativo vai contribuir para o desenvolvimento ambiental e económico do concelho.

“Estou certo que, conforme a Câmara Municipal da Praia da Vitória se propôs, conjuntamente com os resultados já obtidos a nível ecológico, ou seja, com a melhoria das condições que fornecem refúgio às aves migradoras, este centro vai certamente contribuir para promover o turismo ornitológico enquanto um polo dinamizador do desenvolvimento socioeconómico deste concelho e de toda a nossa região”, frisou.

Os Açores têm 13 zonas húmidas integrados na lista da Convenção de Ramsar, com uma área total de 13 mil hectares, sendo uma delas o Paul da Praia da Vitória.


Fonte: Lusa


quinta-feira, 28 de julho de 2016

Lajes vai receber voos comerciais

A Base Aérea das Lajes vai receber, a partir de novembro, voos low cost, apurou o Correio da Manhã. 

A certificação das instalações militares para receber permanentemente voos civis iniciou-se ontem com a assinatura de um protocolo entre o Governo dos Açores e os ministérios do Planeamento, Defesa e Negócios Estrangeiros. 

Os voos para a ilha Terceira serão garantidos a partir do próximo Inverno IATA (30 de outubro) pela Ryanair, sendo assim a primeira companhia civil a usar a Base Aérea nº 4. 

O processo de certificação destas instalações da Força Aérea para passar a receber aeronaves civis deverá estar concluída dentro de dois anos, segundo o protocolo assinado ontem nos Açores. 

Este compromisso surge na sequência da visita do primeiro-ministro aos Açores, em abril. 

A Força Aérea tinha cedido, em novembro de 1975, à então Junta Geral do Distrito de Angra do Heroísmo, um hangar e anexos para funcionarem como Aerogare Civil das Lajes, passando a estar na dependência do Governo Regional dos Açores. 

Em 1995 foi assinado um acordo com o governo dos Estados Unidos para a exploração da base, que entretanto foi denunciado pelos americanos


Fonte: Correio da Manhã


terça-feira, 19 de julho de 2016

Turistas satisfeitos com o destino Açores

Mais de noventa e oito por cento dos turistas que visitaram os Açores no último inverno Iata consideram que o destino correspondeu ou superou as expetativas e cerca de 70% assumem mesmo a intenção de regressar.

Os dados resultam de um inquérito realizado pelo Observatório do Turismo dos Açores.



Fonte: RTP Açores


quinta-feira, 7 de julho de 2016

Cientista da NASA defende investigação na Base das Lajes

O cientista da NASA, Eric Linstrom, especialista em oceanografia, considera que os Açores tem potencialidades para a instalação de um Centro de Investigação Científica.

Ouça a reportagem através do link: 


Fonte: Antena 1 Açores