quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Formação para Profissionais - 1º semestre 2017


Veja todas as informações em:





Susiarte é a maior PME dos Açores na lista das 1000 maiores do país


Susiarte, sedeada na Terceira, subiu da 30ª para a 14ª posição a nível nacional. Ranking da Exame integra uma dezena de empresas açorianas.

A Susiarte, empresa açoriana sedeada na Terceira e com atividade também em São Miguel, Madeira e Continente, distinguiu-se este ano como a 14ª maior empresa entre as pequenas e médias empresas (PME) em Portugal.

Segundo a Revista Exame de Janeiro de 2017, que divulga a lista das 1000 maiores PME no país, a Susiarte  - designação comercial da José Tomás da Cunha & Filhos, que se dedica ao comércio eletro-eletrónico e conta com cerca de 110 colaboradores), lidera o grupo de 10 empresas açorianas presentes naquele  ranking, apresentando um volume de vendas superior a 44 milhões de euros (ME) e traduzindo um crescimento de 14,3% em relação a 2015. 

O gerente da Susiarte regozijou-se com o lugar de destaque alcançado por esta empresa, que neste ranking subiu 16 lugares comparativamente a 2015. “É sempre bom quando recebemos algum reconhecimento público, porque significa um estímulo extra para melhorarmos o nosso desempenho”, salientou Luís Vasco Cunha em declarações ao Açoriano Oriental, acentuando que “temos vindo a subir no volume de vendas”.

Para o novo ano que se avizinha, o responsável enfatiza que “o importante é manter as portas abertas”, convicto de que “temos de nos adaptar ao mercado e ter a mente aberta para isso”. O gerente da Susiarte - empresa que conta com 32 anos de existência - considera que a receita do sucesso passa por se “estar sempre atento ao mercado e aproveitar as oportunidades que este faculta”.

Luís Vasco Cunha deixa uma palavra de agradecimento “a todos os nossos colaboradores, clientes, familiares e amigos”, mostrando-se certo que “2017 será mais um ano de muitas lutas e desafios, mas também um ano de sucessos”.


10 empresas açorianas na lista 

O Ranking das 1000 maiores PME da Revista Exame inclui também a empresa Damião de Medeiros (comércio a retalho) que, com um volume de vendas superior a 36 ME, ocupa o 47º lugar a nível nacional, seguindo-se na 91ª posição a fábrica de laticínios Insulac com vendas superiores a 30 ME. No 532º lugar surge a Terceirense de Rações (agroindústria), com vendas de mais de 14 ME; no 716º a Terauto (comércio de veículos automóveis) com vendas superiores a 12 ME; no 724º a Carlos Soares de Mendonça & CA (comércio por grosso) com vendas de mais de 12 ME; na 797ª posição a Auto Viação Micaelense  (comércio de veículos automóveis) com vendas superiores a 11 milhões; e no 878º a António Mineiro & Andrade (comércio por grosso) com vendas superiores a 11 ME. No 909º posto aparece a empresa Quinta dos Açores (comércio a retalho) com vendas de quase 11 ME, e por fim, no 957º lugar a Sodril (distribuição alimentar) com vendas acima dos 10 ME. 


Fonte: Açoriano Oriental


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

OE2017. Orçamento do Estado publicado hoje em Diário da República

O Orçamento do Estado para 2017 e as Grandes Opções do Plano, promulgados em 21 de dezembro, foram hoje publicados em Diário da República e entram em vigor em 01 de janeiro. 

Aprovada no parlamento em 29 de novembro de 2016, a lei do Orçamento do Estado foi promulgada em 21 de dezembro pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. 

Na altura, numa declaração ao país, o chefe de Estado disse que promulgou “de imediato” o Orçamento para 2017 por “quatro razões, fundamentalmente”, incluindo o facto de o diploma “apontar para um valor do défice aceite pela Comissão Europeia”, traduzindo “uma preocupação de rigor financeiro”. 

O Presidente da República falou durante cerca de quatro minutos e meio, sem se referir a quaisquer questões de constitucionalidade, mas ressalvou que a promulgação do Orçamento do Estado não implica “concordar necessariamente, nem em termos políticos nem em termos jurídicos, com tudo quanto contém” o diploma. 

A proposta de OE foi entregue pelo Governo socialista na Assembleia da República em 14 de outubro, seguindo-se a discussão e votação na generalidade, em 03 e 04 de novembro. PS, BE, PCP e PEV aprovaram o documento, com votos contra de PSD e CDS-PP e a abstenção do PAN. Entre a votação na generalidade e a votação final global, o PAN alterou a sua posição de abstenção para voto favorável. 

Entre as principais medidas do OE2017, previstas na proposta inicial e nas alterações aprovadas, está o fim da sobretaxa de IRS para o segundo escalão de rendimentos, o aumento de pensões até 628,83 euros e os novos impostos sobre os refrigerantes e sobre o património imobiliário de elevado valor. 


Fonte: Dinheiro Vivo / Lusa


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Formação para Profissionais 2017 - Gestão & Liderança e PNL 3D


Veja todas as informações em:



Serviços que ignorem atendimento prioritário serão multados a partir de hoje

As entidades públicas ou privadas que não prestem atendimento prioritário a grávidas, idosos, pessoas com deficiência ou com crianças de colo podem, a partir de hoje, ser multadas até mil euros, com a entrada em vigor da nova lei.

Com a nova legislação, “todas as entidades públicas e privadas que prestem atendimento presencial ao público” ficam obrigadas a “prestar atendimento prioritário às pessoas com deficiência ou incapacidade, pessoas idosas, grávidas e pessoas acompanhadas de crianças de colo”.

A partir de hoje, todas as entidades públicas ou privadas que não cumpram a obrigatoriedade do atendimento prioritário podem ser multadas com coima entre 50 a 500 euros quando a entidade infratora for uma pessoa singular, ou de 100 a mil euros se for uma pessoa coletiva.

Todas as pessoas a quem for recusado o atendimento prioritário podem chamar as autoridades policiais, para tomarem conta da ocorrência, mas sobretudo para impor a obrigatoriedade.

De fora desta obrigatoriedade ficam as situações de atendimento presencial ao público feitas através do serviço de marcação prévia.

Não estão obrigadas a fazer atendimento prioritário as entidades prestadoras de cuidados de saúde quando esteja em causa “o direito à proteção da saúde e do acesso à prestação de cuidados de saúde”.

Nessas situações, “a ordem do atendimento deve ser fixada em função da avaliação clínica a realizar”.

Fora desta obrigação estão também as conservatórias ou outras entidades de registo “quando a alteração da ordem de atendimento coloque em causa a atribuição de um direito subjetivo ou posição de vantagem decorrente da prioridade de registo”.

Usufruem deste regime as pessoas com deficiência que tenham um grau de incapacidade igual ou superior a 60%, reconhecido por atestado multiúsos, e apresentem dificuldades específicas que lhes possam “limitar ou dificultar a atividade e a participação em condições de igualdade”.

Beneficiam também as pessoas idosas, ou seja, todas as que tenham idade igual ou superior a 65 anos e tenham “evidente alteração ou limitação das funções físicas ou mentais”.

Relativamente às pessoas acompanhadas por crianças de colo, a nova legislação é válida apenas para crianças até aos dois anos.

Por outro lado, caso haja uma situação de conflito, em que várias pessoas tenham direito ao atendimento prioritário, o atendimento deve fazer-se por ordem de chegada.


Fonte: Lusa


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Salário mínimo aumenta nos Açores para 584,85 euros

O Vice-Presidente do Governo anunciou hoje que o salário mínimo nos Açores vai ser aumentado para 584,85 euros a partir de 1 de janeiro, o que representa um acréscimo de 28 euros e 35 cêntimos por mês.

Sérgio Ávila sublinhou que este valor representa mais 5% do que aquele que foi acordado a nível nacional (557 euros).

Para o Vice-Presidente, este é “um incremento muito significativo” do salário mínimo, “o que é um contributo para que as pessoas que têm um menor nível de rendimento tenham um ganho real em termos de remuneração mensal”.

Sérgio Ávila revelou também que, tal como foi acordado a nível nacional, as empresas regionais verão reduzidas as suas contribuições para a Segurança Social, o que “permite às empresas acomodar mais facilmente” este aumento do salário mínimo.


Fonte: GaCS/FA / Mark Marques | Info-Fajãs


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Formação para Profissionais 2017 - Língua Inglesa e Alemã


Veja todas as informações em:




Serviço público de transporte marítimo nos Açores vai custar 38 milhões

O Governo Regional dos Açores autorizou o lançamento de um concurso público internacional para o transporte marítimo de passageiros e viaturas, regular e sazonal, no arquipélago, com preço base de 38 milhões de euros.

A resolução, publicada em Jornal Oficial e que entra hoje em vigor, visa o fornecimento do serviço público regular de transporte marítimo de passageiros e viaturas entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge, de passageiros entre as Flores e o Corvo, bem como a operação sazonal para todas as ilhas dos Açores, com exceção do Corvo.

Até agora, o serviço público de transporte de passageiros e viaturas regular e sazonal no arquipélago tem sido prestado pela empresa pública regional Atlânticoline, detida em 83,97% pela Portos dos Açores e 16,03% pela Região Autónoma dos Açores.

O prazo de vigência contratual, incluindo prorrogações, é superior a três anos.

A resolução foi tomada na última reunião do Conselho de Governo, realizada a 16 de dezembro em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, delegando no secretário regional dos Transportes e Obras Públicas, Vitor Fraga, a competência para aprovar as peças do procedimento, designar o júri, proceder à adjudicação, aprovar a minuta do contrato e outorgar o mesmo em nome da Região Autónoma dos Açores.

O Conselho de Governo, liderado pelo chefe do Executivo, Vasco Cordeiro, justifica a decisão de lançar o novo concurso público internacional por considerar que "importa assegurar a continuidade do serviço de transporte marítimo de passageiros e de viaturas, regular e sazonal, regido pelas obrigações de serviço público aprovadas" a 15 de julho de 2015.


Fonte: Lusa


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

2 º Passatempo Ofereça Açores Natal 2016 - Foto


Este ano o Ofereça Açores tem Passatempos Diários para si!

Participe e habilite-se a ganhar vales-compra no valor de 25,00€ para utilizar nas lojas aderentes.

Para participar: 

* Tem de ser Fã da Página Ofereça Açores;
*Participar de acordo com o solicitado no passatempo a decorrer;
* Partilhar a publicação do passatempo com o público;
* Partilhar com o público a imagem da app ofereça Açores que se encontra aqui: https://www.facebook.com/oferecaaco...
* Respeitar Horários definidos para passatempo;

O vencedor será o que tiver mais "Likes" na sua participação 
e cumprir todas as regras do regulamento.

Consulte as condições de participação através do link: 
e comece já a participar!

(Todas as respostas deverão ser colocadas por baixo da nossa publicação 



quarta-feira, 30 de novembro de 2016

1 º Passatempo Ofereça Açores Natal 2016 - Frase


Este ano o Ofereça Açores tem Passatempos Diários para si!

Participe e habilite-se a ganhar vales-compra no valor de 25,00€ 
para utilizar nas lojas aderentes.


e comece já a participar!


(Todas as respostas deverão ser colocadas por baixo da nossa publicação da página de facebook do Ofereça Açores, que pode aceder através do link: 



Passatempos Ofereça Açores Natal 2016


Regulamento:

1. Os passatempos são promovidos pelo Ofereça Açores, projecto da responsabilidade da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo.

2.Para participar nos passatempos e habilitar-se a ganhar os prémios especiais deve respeitar as normas expressas na imagem de cada passatempo, nomeadamente no que respeita à mecânica do respectivo passatempo e aos prazos. 

3. Só serão consideradas válidas as participações em cada passatempo que forem colocadas na caixa de comentários de cada passatempo.

4. Os prémios a atribuir são em formato de vales-compra de 25€, que podem ser apenas utilizados nas lojas aderentes à Campanha Ofereça Açores Natal 2016. A lista das lojas pode ser consultada nas notas desta página de facebook., e será igualmente entregue junto com o prémio a cada vencedor.Os prémios têm validade de 15 dias úteis após anúncio do vencedor, após os quais deixam de ser válidos.

5. Os vencedores serão anunciados no momento em que termina o passatempo, na página do facebook do Ofereça Açores.

6. A participação nos passatempos é gratuita. Só é aceite uma participação por pessoa em cada passatempo. Para participar em qualquer um dos Passatempos necessita de: ter um Perfil no Facebook; ser Fã da Página Ofereça Açores; Partilhar a publicação do passatempo com o público; partilhar com o público a imagem da app ofereça açores que se encontra aqui: https://www.facebook.com/oferecaacores/photos/a.272564126167982.60406.212796995478029/1083122301778823/?type=3&theater

7. Em caso de empate ganha a publicação que foi efectuada em primeiro lugar.

8. O mesmo perfil no Facebook só poderá vencer um passatempo.

9. O Ofereça Açores reserva-se o direito de anular a participação de concorrentes que não respeitem as regras do bom senso e escrevam frases consideradas ofensivas, mal intencionadas ou inapropriadas. O Ofereça Açores recusa desde já qualquer responsabilidade pelo uso indevido da página do passatempo por parte dos participantes. 

10. Os passatempos iniciam-se aquando das publicações das respectivas imagens de cada um, e terminam na data e hora indicadas na imagem de cada passatempo. 

11. Em cada passatempo haverá um vencedor, que será anunciado pela página Ofereça Açores após a data e hora de encerramento do mesmo. 

12. A página Ofereça Açores informará, nas caixas de comentários de cada passatempo, qual o respectivo vencedor, os quais terão que confirmar a sua aceitação, via mensagem privada, no prazo máximo de 1 semana. Caso contrário, os vencedores perderão o direito ao gozo do prémio.

13. O prémio será entregue nas instalações da CCAH (Rua da Palha, nº 4-14, Angra do Heroísmo), Núcleo Empresarial de São Jorge (Rua Dr. Duarte Sá, nº 6- Velas – São Jorge ) ou Núcleo Empresarial da Graciosa (Rua Marquês do Pombal, nº 12 - Santa Cruz da Graciosa). 

14. Estes prémios são pessoais, intransmissíveis, inalteráveis, não podem ser acumulados nem trocados por dinheiro e estão sujeitos a restrições. 

15. Para gozo dos prémios, os vencedores deverão, obrigatoriamente, apresentar as suas identificações às respectivas entidades. 

16. As participações são limitadas apenas a pessoas maiores de 18 anos.

17. As participações nos passatempos implicam, necessariamente, a aceitação de todas as cláusulas deste regulamento.

18. O Ofereça Açores reserva-se o direito de alterar as regras de participação nos passatempos acima referidos caso ocorra alguma situação de abuso de direito, nomeadamente a utilização de perfis falsos no facebook para que a mesma pessoa possa concorrer várias vezes no mesmo passatempo.



terça-feira, 29 de novembro de 2016

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Nova Oferta de Emprego


Nova oportunidade de emprego 
na Ilha Terceira, através da bolsa de emprego da CCAH!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do link: http://www.ccah.eu/bolsa/ 
e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Não perca tempo e agarre hoje mesmo o seu futuro!!!

Para mais informações: http://www.ccah.eu/  



Empresários da Terceira apreensivos com atrasos nos correios

A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo denuncia atrasos no transporte do correio por parte dos CTT.

Carla Bretão, porta-voz dos comerciantes, fala em prejuízos para os empresários e adianta que a diretora dos CTT na Região já tem conhecimento do problema.

Veja a reportagem através do link: http://www.rtp.pt/acores/economia/empresarios-da-terceira-apreensivos-com-atrasos-nos-correios-video_52072


Telejornal RTP/Açores


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Nova Oferta de Emprego


Nova oportunidade na nossa Bolsa de Emprego online, 
desta vez na Ilha São Jorge!

introduza o seu curriculum 
e veja todas as ofertas disponíveis.




segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Nova Oferta de Emprego


A nossa Bolsa de Emprego é ferramenta ideal para aumentar as suas oportunidades! 

introduza o seu curriculum e candidate-se às vagas disponíveis.

Boa sorte!!!


Terceira prepara-se para receber a Ryanair

A Ryanair começa a voar para a Terceira a dois de dezembro.

A faltar menos de 15 dias, os hoteleiros de Angra do Heroísmo e da Praia da Vitória ainda não notam diferença, mas já perceberam que as reservas são feitas com menos antecedência.

A companhia de baixo custo vai fazer quatro ligações semanais entre as Lajes e Lisboa e duas para o Porto.

Veja a reportagem através do link: http://www.rtp.pt/acores/economia/terceira-prepara-se-para-receber-a-ryanair-video_52045


Fonte: Telejornal RTP/Açores


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Terceira reclama delegado de turismo

O presidente da câmara do comércio de Angra do Heroísmo quer um delegado de turismo na Terceira.

Sandro Paim diz que a existência de um intermediário é essencial para coordenar a qualificação da oferta.

A ideia foi defendida numa mesa redona sobre o setor do turismo na Terceira, que decorreu no centro cultural e de congressos de Angra.

Veja a reportagem através do link: http://www.rtp.pt/acores/economia/terceira-reclama-delegado-de-turismo-video_52029 


Fonte: Telejornal RTP/Açores


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Governo dos Açores cria novos instrumentos de financiamento às empresas

O Vice-Presidente do Governo anunciou esta quarta-feira, na Horta, que o Executivo vai criar “já no primeiro semestre do próximo ano”, um conjunto de novos instrumentos de financiamento às empresas a que serão afetados “20 milhões de euros de recursos financeiros públicos”, posteriormente “ampliados pelas instituições financeiras participantes”.

“Vamos implementar novos instrumentos financeiros que visam facilitar o acesso a financiamento às empresas açorianas no âmbito de linhas de crédito com garantia mútua e mecanismos inovadores de financiamento do capital social das empresas”, afirmou Sérgio Ávila na Assembleia Legislativa Regional.

Nesse sentido, destacou, na intervenção que proferiu na apresentação do Programa de Governo, um “fundo de capital de risco, operações de financiamento da participação no capital reversíveis, e financiamento de entidades de apoio a ‘Business Angels’”.

Estas medidas, sublinhou, “serão disponibilizadas às empresas através de instituições financeiras selecionadas por concurso e vão permitir criar um efeito de alavancagem na mobilização de recursos privados e gerar um fluxo renovável de meios financeiros” e a “sua capacitação de investimento”.

Sérgio Ávila revelou ainda que, com o objetivo de apoiar o surgimento de novos projetos empresariais de caráter inovador, a Comissão Europeia já aprovou a proposta do Governo Regional para a implementação da Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores.

O governante revelou que esta Rede “permitirá em todos os concelhos da Região criar estruturas de apoio aos empreendedores e às empresas StartUps a serem criadas, numa fase inicial e crítica da implementação dos seus projetos empresariais”, além de também “desenvolver incubadoras de base tecnológica e de elevada especialização ou temática”.

O Vice-Presidente destacou que vai ainda ser criado um novo sistema de apoio, denominado ‘Vale de Incubação’, que “permitirá financiar as novas empresas StartUps no acesso a serviços profissionais qualificados, e de aconselhamento especializado a empresas em fase nascente”.

“Implementaremos também uma Agenda de Inovação visando a concretização de ações de transferência de conhecimento para o tecido económico, de inovação empresarial e de investigação aplicada”, anunciou.

Além destas medidas e de um conjunto vasto de outras inscritas no Programa de Governo, Sérgio Ávila defendeu que “importa dar mais um impulso na simplificação administrativa e na desburocratização da atividade empresarial”, pelo que vai ser lançado em 2017 um Programa de Apoio às Empresas.

Todas estas medidas, acentuou, “visam reforçar o enquadramento de apoios às empresas, que tem no Sistema de Incentivos Competir+ e nas reduções fiscais existentes os seus dois patamares essenciais”.


Fonte: GaCS/RL Açores


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Queijos dos Açores ganham prémios nacionais

Três queijos dos Açores estão entre os melhores do país.

Os queijos açorianos distinguiram-se num concurso promovido pela Anil, Associação Nacional de Industriais de Laticínios.

O queijo Morião, da empresa Quinta dos Açores, da Terceira, foi o melhor classificado na categoria queijo de vaca de cura prolongada.

Já o queijo Ilha Azul, da Calf, a Cooperativa de Laticínios do Faial, ganhou na categoria de queijo flamengo.

Na categoria queijo da ilha o prémio foi para o Lourais, da cooperativa dos Lourais, ilha de São Jorge.

Em apreciação, neste concurso, estiveram 206 queijos de várias regiões do país.



Fonte: RTP-Açores


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Programa de Natal de Angra do Heroísmo

Segundo nota enviada à comunicação social, este ano a animação estende-se também a todas as artérias da cidade, com música, cor e talento para promoção do comércio local. 

A par da animação nas artérias da cidade, a Praça Velha será uma vez mais a sala de visitas privilegiada para as comemorações da quadra natalícia onde funcionará o Mercado de Natal, com as mais diversas propostas para presentes originais e animação garantida para miúdos e graúdos. 

Para Raquel Caetano Ferreira, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, "este ano, o Município de Angra, com vista a dinamizar o centro de Angra do Heroísmo e a promover a circulação de pessoas na cidade, aumentando assim o fluxo de visitas ao comércio local, preparou várias e diversificadas atividades, sendo a base das atuações os nossos artistas locais, que mais uma vez contribuem para que Angra seja uma cidade com vida no natal”.

Assim as ruas serão surpreendidas com concertos e performances variadas de animação e aos fins de semana o Mercado de Natal terá propostas diferentes, envolvendo diversas forças vivas do concelho. 

Decorrerá ainda a exposição de presépios “O Menino Mija” e a III edição do concurso de bolos e licores, ambos com a colaboração dos Centros de Convívio do Concelho, bem como a participação das nossas filarmónicas para animação da Praça Velha nas tardes de domingo, bem como atuações de diversos coros na escadaria da Igreja da Sé. 

Outra novidade da programação de Natal deste ano de 2016, é o convívio de Passagem de Ano na Praça Velha, que contará com animação para a entrada do novo ano, entre as 21h00 do dia 31 de dezembro e as 06h00 do dia 1 de janeiro 2017. 


Fonte: Açoriano oriental


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Nova Oferta de Emprego


Nova oportunidade de emprego 
na Ilha Terceira, através da bolsa de emprego da CCAH!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do link:http://www.ccah.eu/bolsa/ 
e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Não perca tempo e agarre hoje mesmo o seu futuro!!!

Para mais informações: http://www.ccah.eu/  



Sessão de Esclarecimento: "A importância da Gestão documental no sucesso das organizações"


Não perca esta sessão a realizar no dia 15 de Novembro, às 17h00 
no Salão Nobre da CCAH, com o Orador Paulo Veiga.

Basta inscrever-se por e-mail: marketing@ccah.eu
ou pelo telefone 295 204 810



terça-feira, 8 de novembro de 2016

Zona Aérea dos Açores não prevê constrangimentos nos voos da Ryanair para a Terceira

O comandante da Zona Aérea dos Açores disse hoje que a operação da Ryanair para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, deverá decorrer sem constrangimentos, apesar de não estar concluída a certificação da base para uso civil permanente.

“Não prevemos que haja qualquer tipo de constrangimento”, disse, em declarações aos jornalistas, o brigadeiro-general Eduardo Faria, à saída de uma audiência para apresentação de cumprimentos ao presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

A companhia aérea de baixo custo Ryanair anunciou, em setembro, o arranque de uma operação para a ilha Terceira, nos Açores, a partir de dezembro, com quatro ligações semanais a Lisboa e duas ao Porto.

O Governo Regional dos Açores e o Governo da República assinaram um protocolo, a 27 de julho, comprometendo-se a concluir no prazo de dois anos o processo de certificação da base das Lajes, na ilha Terceira, para a utilização permanente pela aviação civil.

Segundo o comandante da Zona Aérea dos Açores, o processo de acreditação da base “está em evolução” e a Força Aérea está “em sintonia” com as autoridades locais e nacionais.

“Em princípio, para o ano teremos esse processo concluído”, declarou.

De acordo com Eduardo Faria, está em causa a criação de uma “autorização permanente para as companhias que pretendam operar na base das Lajes”, que vai tornar a operação “muito mais agilizada e flexibilizada, permitindo um planeamento mais consistente das companhias aéreas”.

No entanto, enquanto o processo de certificação da base das Lajes não estiver concluído, a Ryanair vai voar para a ilha Terceira com uma autorização temporária, que será renovada até que exista uma autorização permanente.

Também o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, realçou o trabalho que está a ser feito no âmbito do processo de certificação da base das Lajes para que o aeroporto possa ser um “fator de desenvolvimento para a ilha e para a região”.

“No início deste ano foi assinado um protocolo com o Governo da República que enquadra esta questão. O que está a ser feito neste momento é dar seguimento a esse trabalho de forma a garantir que o mais rapidamente possível esse aspeto possa ser resolvido”, frisou.

O novo modelo de transporte aéreo entre os Açores e o continente, que entrou em vigor a 29 de março de 2015, liberalizou as rotas de Ponta Delgada e da Terceira, mas na altura iniciaram-se apenas voos ‘low cost’ para Ponta Delgada.

A 29 de abril de 2016, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou, na ilha Terceira, um financiamento por parte do fundo nacional do turismo para iniciativas de promoção da ilha da Terceira e melhoria da oferta de transporte, que incluía duas novas rotas ‘low-cost' a partir do Porto e de Lisboa para aquele destino.


Fonte: Lusa


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Formação para Profissionais: Gestão e Análise Financeira


Pretende obter ou reforçar conhecimentos e competências na área de análise financeira?

Então esta formação é para si!

Formação em Gestão e Análise Financeira, 
de 3 a 12 de Novembro de 2016, 
em Angra do Heroísmo. 

Consulte o Programa e inscreva-se em: 



quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Empresas podem receber prémios se passarem estagiários e contratados financiados a efetivos

As empresas que integrem nos seus quadros os estagiários ou os contratados a prazo que foram financiados por apoios ao emprego vão receber do Instituto de Emprego um prémio equivalente a dois salários desse trabalhador.

De acordo com um projeto de portaria a que agência Lusa teve acesso, a medida de apoio ao emprego que financia a realização de estágios em empresas e entidades vai ser reformulada e passa a prever a atribuição de "um prémio ao emprego de valor equivalente a duas vezes a retribuição base" do estagiário.

O prémio é atribuído à entidade empregadora que celebre com o estagiário um contrato de trabalho sem termo, no prazo de 30 dias a seguir à conclusão do estágio.

Os estágios apoiados financeiramente pelo IEFP duram 9 meses, durante os quais os estagiários têm direito a uma bolsa mensal que varia entre o valor equivalente a 1,2 IAS (Indexante de Apoios sociais), que com o valor atual seria de 503 euros, e entre 1,75 do Valor do IAS (419,22 euros), que seria de 732,8 euros.

O valor da bolsa depende das habilitações do estagiário.

O IEFP comparticipa em 80% a bolsa de estágio, no caso de entidades coletivas sem fins lucrativos e em 65% nas outras situações.

O Governo enviou ainda aos parceiros sociais um projeto de portaria que reformula os apoios à contratação de desempregados, fazendo depender os apoios da garantia de criação de emprego líquido.

Esta medida de promoção de emprego destina-se a jovens à procura do primeiro emprego e a desempregados de longa duração.

A entidade empregadora recebe um apoio financeiro, de forma faseada, correspondente a 9 vezes o valor do IAS, no caso de ser feito um contrato sem termo, e de 3 vezes o valor do IAS, se o contrato de trabalho for a prazo.

O empregador receberá um prémio, equivalente a dois salários, se converter o contrato a termo num contrato sem termo, ou seja, se colocar o trabalhador apoiado nos seus quadros.

O Governo discutiu em junho e julho com os parceiros sociais a revisão das medidas ativas de emprego de forma a torná-las mais eficazes.

Na altura o ministro do Trabalho considerou que os resultados das medidas ativas de emprego aplicadas nos últimos anos ficaram aquém do desejável e defendeu a revisão do modelo de modo a direcioná-las para a criação de emprego de qualidade.

O Governo divulgou então na concertação social um documento que refere que menos de metade dos jovens (38%) que em 2014 fizeram estágios financiados pelo IEFP estavam em 2015 a trabalhar, sem mais apoios do Estado, mas que apenas 16% foram contratados pela empresa onde estagiaram.


Fonte: Lusa


terça-feira, 18 de outubro de 2016

Governo quer discutir de diferenciação na TSU paga por empresas

O Governo informou a Comissão Europeia de que pretende discutir com os parceiros sociais a introdução de uma diferenciação na taxa social única (TSU) paga pelos empregadores.

No esboço orçamental para 2017 enviado a Bruxelas, o Governo compromete-se a discutir com os parceiros sociais "a possibilidade de introduzir uma diferenciação na taxa social única aplicada aos empregadores de acordo com o tipo de contrato celebrado com o trabalhador".

O objetivo do executivo é "progredir na redução da segmentação e aumentar a estabilidade da integração no mercado de trabalho, que tem grandes implicações, nomeadamente, em questões de planeamento familiar".

O Governo acrescenta que essa discussão será "iniciada após a apresentação e discussão do Livro Verde das Relações Laborais".

No documento, o Governo refere também que "mantém como prioridade a gestão do sistema de Segurança Social, procurando melhorar a respetiva sustentabilidade, equidade e eficiência redistributiva".

Além de reiterar que vai "avaliar a diversificação das fontes de financiamento da Segurança Social, a fim de fortalecer a sustentabilidade financeira de médio prazo", o executivo adianta que vai "reavaliar as isenções e reduções das taxas contributivas para a Segurança Social, que reduzam em simultâneo o peso das transferências orçamentais no financiamento total".

De acordo com o documento, "as transferências extraordinárias provenientes do orçamento geral do Estado estão, desde 2015, a ser gradualmente eliminadas e irão convergir para zero em 2019".

Em 2015, estas transferências foram de 894 milhões de euros, este ano serão de cerca de 650 milhões, em 2017 de mais 430 milhões e em 2018 de 200 milhões.


Fonte: Jornal de Notícias
Foto: Mário Cruz / Lusa



segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Workshop: "Marketing Digital para que te quero?"



Gostaria de dotar a sua empresa de conhecimentos e ferramentas básicas 
de marketing digital para criar uma presença de valor na internet, 
que complemente a sua estratégia geral de marketing?

Então este é o workshop certo para si!!!

Não perca tempo e inscreva-se até esta quinta-feira!




Prazo para comunicar facturas ao fisco encurta, e muito

As empresas passarão a ter de enviar a facturação mensal à Autoridade Tributária até ao oitavo dia do mês seguinte. O prazo até aqui era de 25 dias.

Os empresários vão passar a tem muito menos tempo para comunicarem ao Fisco as facturas emitidas no mês imediatamente anterior, com o prazo de 25 dias que agora vigorava a encurtar para oito dias.

A medida surge na proposta de Orçamento do Estado para 2017, onde se altera o decreto-lei 198/2012, o diploma que regula as regras de comunicação mensal de facturas ao Fisco. Em vez de terem até ao 25º dia do mês seguinte ao da facturação para enviarem os elementos, os empresários passarão a ter de apenas até ao 8º dia do mês seguinte, um período substancialmente mais pequeno.

Estão em causa "os elementos das facturas emitidas nos termos do Código do IVA" e todos "os elementos dos documentos de conferência de entrega de mercadorias ou da prestação de serviços", sejam eles entregues por via electrónica, através do ficheiro SAF-T ou através de inserção directa no Portal das Finanças (para quem está dispensado de ter equipamentos de facturação).

Com esta medida, reduz-se a possibilidade dos empresários emitirem facturas com datas anteriores, o Fisco aumenta o controlo sobre as empresas e o Governo fica a ter mais cedo em sua posse elementos que lhe permitam estimar a receita de IVA do período.

Esta não é a primeira vez que o Fisco tenta ter os dados mais cedo. Já na versão original do decreto-lei 198/2012 se exigiam os oito dias apenas, mas, na altura, o Governo acabaria por recuar para dar mais tempo às empresas para cumprirem as obrigações.


SAF-T passa a ser obrigatório

A par desta medida, o Governo vem também exigir às empresas que já têm facturação electrónica que passem a enviar mensalmente os ficheiros no formato SAF-T. Estão em causa as sociedades comerciais ou civis sob forma comercial, as cooperativas, as empresas públicas e todas as entidades que exerçam a título principal uma actividade comercial, industrial ou agrícola.


Fonte: Jornal de Negócios


sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Nova Oferta de Emprego


Boas notícias para quem está desempregado!!! 

Existe uma nova oportunidade de emprego 
na Ilha Terceira, através da bolsa de emprego da CCAH!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do link: http://www.ccah.eu/bolsa/ 
e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Não perca tempo e agarre hoje mesmo o seu futuro!!!

Para mais informações: http://www.ccah.eu/  



quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Vasco Cordeiro diz que eventual parceria com a China fora do plano militar pode ser aprofundada

O presidente do Governo dos Açores afirmou na quarta-feira que uma eventual parceria com a China sobre a base das Lajes, que não no plano militar, pode ser aprofundada, destacando a relação histórica com os Estados Unidos da América.

"Sendo de interesse mútuo, julgo que nada obsta a que nesses planos, que não o plano militar, ela possa ser analisada, aprofundada, debatida", afirmou Vasco Cordeiro aos jornalistas ao ser questionado com as declarações do primeiro-ministro, António Costa, sobre a base das Lajes, na ilha Terceira.

O primeiro-ministro português admitiu hoje em Macau que a base aérea das Lajes pode ser usada pela China se os Estados Unidos não renovarem o acordo de exclusividade, mas apenas para fins científicos e não militares.

"Temos um acordo com os Estados Unidos, e queremos continuar com esse acordo, mas respeitamos a decisão" dos norte-americanos, disse António Costa numa entrevista difundida pela agência de informação financeira Bloomberg.

Para Vasco Cordeiro, recandidato à presidência do Governo Regional nas eleições legislativas regionais de domingo, "as declarações espelham bem a perspetiva com que o Governo português encara a possibilidade de, no âmbito dos Açores, poder reforçar esta ligação que há com a China".

"A questão militar não está sequer em causa, mas há um conjunto de outras áreas onde se pode, havendo esse interesse, reforçar esta parceria", considerou Vasco Cordeiro.

Para o chefe do executivo açoriano, "a relação histórica, de proximidade, de comunhão de um conjunto de interesses é factual com os Estados Unidos da América e, portanto, desse ponto de vista, até no plano militar, essa comunhão de objetivos e de valores não está em causa".

"O que temos é uma situação em que existe um outro país que demonstra interesse em reforçar neste âmbito dos Açores a sua parceria com o nosso país, não se coloca da forma como vejo com o dramatismo que alguns lhe querem imprimir, mas sim como uma oportunidade, não apenas de reforçar esses laços, mas de explorar novas áreas de interesse comum, desde o conhecimento até a componente comercial", acrescentou.


Fonte: Lusa


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

António Costa admite interesse chinês na Base das Lajes

Em entrevista à Bloomberg TV o primeiro-ministro diz que há abertura para a colaboração com todos os parceiros na área da investigação científica.

O Primeiro-Ministro António Costa admite que há interesse da China nos Açores com a saída dos norte-americanos da Base das Lajes, na ilha Terceira, na área da investigação científica. Em entrevista à Bloomberg TV, em Macau, António Costa diz que Portugal vai continuar a honrar os seus compromissos como membro fundador da NATO mas quer que os Açores sejam melhor aproveitados – uma série de oficiais chineses, incluindo o presidente e o primeiro-ministro já usaram a ilha Terceira como stop over, para reabastecimento, em viagens para a América Latina, numa altura em que a China está a tentar expandir os seus interesses além fronteiras mas salvaguardar a sua economia.

“Temos um acordo com os Estados Unidos e gostaríamos de manter esse acordo. Os Açores são muito importante logisticamente para o Atlântico Norte e vão continuar a ser. Claro que isto é também uma boa oportunidade para criar uma plataforma de colaboração científica nos Açores. Estamos abertos a colaboração com todos os parceiros, incluindo com a China, para trabalhar em tecnologia de águas profundas e investigação”. António Costa afirmou que “a utilização militar da base norte-americana não é neste momento uma opção, o que é uma opção é a possibilidade de instituições da União Europeia, norte-americanas ou chinesas reutilizarem as instituições para propósitos de investigação científica”, exemplificou. “Será um enorme desperdício não se usar a infraestrutura. Precisamos de a reutilizar e se não o vamos fazer para fins militares então porque não a investigação científica?”.

Os contactos não se esgotam com a China. O primeiro-ministro entregou a Barack Obama, em julho, um estudo sobre a transformação da base em centro de investigação científica. A Base das Lajes tem serviço de ligação entre os norte-americanos e os aliados da NATO, tendo desempenhado um papel crucial durante a Guerra Fria para identificar mísseis e submarinos soviéticos. Os Estados Unidos já decidiram avançar, contudo, com a desmilitarização da Base das Lajes, reduzindo os soldados para menos de 170 no ativo, num movimento que terá forte impacto na economia local. Contudo, algumas autoridades norte-americanas estão preocupadas com qual será a estratégia geopolítica da China para o Atlântico Norte, nomeadamente com a presença nos Açores, avisando que esta se pode expandir para propósitos militares.

As relações entre Portugal e a China têm-se vindo a consolidar, com a entrada no capital da EDP e da REN e o investimento em setores como os seguros (Fidelidade) ou saúde (Luz Saúde). Agora, a Fosun deverá ficar com 16,7% do BCP e o grupo Misheng está interessado no Novo Banco se opção for dispersão em bolsa, marcando a entrada no sector bancário de retalho depois da compra do BESI pelo Haitong – que está a reforçar a sua relação com a China, como noticiou o Dinheiro Vivo.

Segundo dados oficiais citados pela Bloomberg o investimento chinês em Portugal ultrapassou os sete mil milhões de dólares no final do ano passado. Portugal é agora o quinto maior destino de investimento chinês na Europa. “Portugal foi sempre uma economia aberta e o investimento chinês sempre foi muito positivo, no setor financeiro ou energético mas não só. Por exemplo, o investimento chinês permitiu-nos capitalizar os nossos bancos”, afirmou António Costa. Questionado sobre até onde o Governo estará confortável com o investimento chinês no sector bancário, afirmou estar “bastante confortável. Temos investimento espanhol, angolano e chinês e estamos a diversificar as fontes de financiamento”, exemplificou. “Vemos isto como uma vantagem e não como uma desvantagem.” “No final do ano esperamos ter ultrapassado os problemas dos nossos bancos e recapitalizar com uma solução para o crédito malparado”, revelou.


Não é só Portugal que tem estado no radar da China, a braços com um crescimento económico abaixo do esperado, volatilidade na moeda, o yuan e ainda uma crise imobiliária prestes a rebentar. O país quer diversificar os seus mercados de exportação e tem procurado novos clientes em África (é um dos principais parceiros de Angola), na América Latina e no Médio Oriente. A ilha Terceira pode ajudar nesta diversificação, devido à localização geográfica que permite “paragens técnicas”.



Fonte: Dinheiro Vivo




terça-feira, 11 de outubro de 2016

Americanos fazem chegar aos Açores o programa Connect to Sucess

O programa "Connect to Success", da responsabilidade da embaixada dos Estados Unidos em Portugal e da Flad, já chegou aos Açores.

A iniciativa, que conta com a colaboração da Universidade dos Açores, pretende ajudar mulheres a consolidarem os seus negócios.



Fonte: Jornal da Tarde RTP/Açores

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Açores participam na Feira SIAL, em Paris

O Governo dos Açores, através da Vice-Presidência, promove a participação de empresas regionais na Feira SIAL, que vai decorrer em Paris entre 16 e 20 de outubro.

A SIAL Paris, considerada uma das maiores fontes de inspiração do setor alimentar, é uma feira de caráter exclusivamente profissional que apresenta uma extensa mostra de produtos da indústria agroalimentar e se estima que possa receber cerca de 155 mil visitantes.

Esta participação, desenvolvida através da Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores (SDEA), em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, permitirá representar alguns dos principais setores exportadores regionais, com o objetivo de promover os produtos agroalimentares açorianos e contribuir ativamente para o aumento da base económica de exportação.

A edição deste ano da SIAL Paris conta com cerca de sete mil empresas de mais de 100 países.
 

Fonte: GaCS/VPECE


Empresários defendem mais formação no turismo e ajustes nos transportes

O presidente da Câmara de Comércio e Indústria dos Açores (CCIA) considera que o setor do turismo necessita de um reforço de formação, de ajustamentos nos transportes e de uma aposta no alojamento alternativo.

O turismo “é muito transversal na nossa economia e impacta em muitos setores de atividade, portanto é um setor que nós achamos que deve ser uma aposta muito clara do Governo Regional e que tem impactos muito grandes no crescimento da economia dos Açores”, disse Sandro Paim, presidente da Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo e atual presidente da CCIA.

Sandro Paim reconheceu à Lusa que o turismo registou um “crescimento muito significativo no último ano e meio”, mas admitiu que esse crescimento não se vai manter e, por isso, defende que o próximo Governo Regional deve preparar o setor para a estabilização dos fluxos.

“Acima de tudo temos de trabalhar na fidelização dos clientes e estabilizar este mercado que é tão importante. Essa estabilização passa por um conjunto de iniciativas que têm de ser dadas rapidamente”, salientou.

Uma das reivindicações da associação empresarial é o aumento da disponibilização de lugares nas ligações aéreas com o continente português, na época alta, para contornar os “constrangimentos” verificados no preço das passagens.

Sandro Paim reconheceu que foram dados passos importantes com o novo modelo de transportes, que liberalizou as rotas das ilhas Terceira e São Miguel, atraindo voos ‘low cost’ (de baixo custo) para os Açores, mas salientou que ainda existem grandes constrangimentos nas ligações dentro do arquipélago, sobretudo na época alta.

“Tem de haver um reforço de ligações inter-ilhas e uma redução do custo. Esses devem ser os principais objetivos para os próximos quatro anos, em termos do desenvolvimento das acessibilidades de passageiros, no que diz respeito ao transporte aéreo”, apontou.

Outra das necessidades já identificadas pela Câmara de Comércio é o reforço de formação dos recursos humanos dos diferentes ramos ligados ao turismo, como o alojamento, o aluguer de viaturas, a restauração e a animação turística.

“Nós sabemos que ainda existem algumas lacunas no bem servir. É típico de um mercado que está a crescer rapidamente e que não estava necessariamente preparado para este crescimento”, justificou Sandro Paim.

O presidente da CCIA defendeu também uma revisão do Plano de Ordenamento Turístico da Região Autónoma dos Açores, que privilegie incentivos ao alojamento local e rural, adaptando-se aos novos fluxos turísticos que procuram o arquipélago.

“Não nos podemos cingir à hotelaria tradicional, porque os fluxos que estão a chegar cá não procuram só esse tipo de alojamento. Aliás, o que vemos é que grande parte já procura outro tipo de alojamento e portanto há necessidade de também rever o que é o nosso sistema de incentivos”, salientou.

Sandro Paim considerou que há “uma necessidade clara de investimento público”, transversal a todas as ilhas, em miradouros, zonas balneárias, trilhos pedestres e sinalética, acrescentando que estas zonas têm de ser potenciadas pelos privados com oferta de produtos turísticos, para que o investimento tenha retorno.

Por outro lado, defendeu a preservação de parques naturais, a criação de reservas marinhas e o alargamento de horários de acesso a áreas de interesse turístico.


Fonte: Lusa



segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Nova Oferta de Emprego


A semana começa bem com uma nova oportunidade de emprego 
na Ilha Terceira, através da bolsa de emprego da CCAH!

Inscreva-se na Bolsa de emprego através do link:http://www.ccah.eu/bolsa/ 
e disponibilize o seu Curriculum Vitae.

Não perca tempo e agarre hoje mesmo o seu futuro!!!

Para mais informações: http://www.ccah.eu/  



sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Amas dos Açores com novo regime jurídico

O diploma que estabelece o regime jurídico de licenciamento da atividade de ama nos Açores entrou hoje em vigor, passando a regular esta profissão no arquipélago.

Segundo o decreto legislativo regional, publicado na quinta-feira em Diário da República, o exercício desta atividade é sujeito a licenciamento e pode ocorrer no âmbito de uma instituição de enquadramento de amas ou através da contratualização do serviço diretamente com os pais ou com quem exerça as responsabilidades parentais.

"O exercício da atividade de ama depende da emissão de licença, a conceder pelo organismo regional competente em matéria de ação social", refere o decreto, que estabelece o regime jurídico de licenciamento, organização e fiscalização da atividade.

O diploma define que a atividade de ama é uma resposta social alternativa às creches com o objetivo de apoiar as famílias no acolhimento das crianças, em ambiente familiar, com as devidas condições ao seu desenvolvimento integral.

O acolhimento assegurado pela ama tem como limite máximo quatro crianças, preferencialmente de idades diferenciadas dentro do grupo etário previsto.

"Todas as amas que se encontrem licenciadas para o exercício da respetiva atividade são consideradas de utilidade social, usufruindo, nomeadamente, da atribuição dos benefícios fiscais inerentes", acrescenta.

O Governo dos Açores indica que com esta medida se propicia “a possibilidade de extensão destes serviços, como resposta às famílias com necessidades de apoio que não se coadunem com as demais respostas sociais”.

“Por outro lado, esta iniciativa apresenta-se como mais um importante instrumento de conciliação das políticas sociais com as políticas de emprego, particularmente de autoemprego”, sublinha.

A medida tem também como objetivo “a inserção ou reinserção na vida ativa de pessoas à procura do primeiro emprego e desempregados, designadamente licenciados nas áreas de educação de infância, psicologia e outras áreas, ou pessoas vocacionadas para esta tipologia de serviço, bem como a promoção do emprego, numa lógica que permite a sua conciliação com a vida familiar”.


Fonte: Lusa